sexta-feira, 21 de julho de 2017

Língua Portuguesa

Num compêndio para o ensino da Língua Portuguesa nas EUA, correspondente ao nosso 9º ano, que tive oportunidade de consultar há dias, vi que a par do Português genuíno (para mim e para muitos portugueses que não embarcaram em qualquer coisa incompreensível apelidada de novo acordo ortográfico) ensina o Português do Brasil (que não me admiro de amanhã deixar de se chamar assim e passar a ser o Brasileiro).
Mais outra: no mesmo compêndio, aboliu-se completamente a 2ª pessoa do plural na conjugação dos verbos! Os alunos nem sonham que ela existe ou que alguma vez tenha existido.
No caso particular que me possibilitou tomar conhecimento do relatado, o de uma minha neta, a professora é até uma brasileira.
Língua Portuguesa: estão a desligar-te das tuas raízes. Dói-me ver o que permitiram e o abandono a que te votaram os nossos responsáveis. Choca-me ver muitas palavras nos órgãos de comunicação social (aqui, em Portugal!) escritas de forma a que as teria de pronunciar de forma diferente daquela que me ensinaram.
Mas quem sou eu, muito longe de autoridade na matéria, senão alguém a bracejar inconformado contra a corrente poderosa dum facto infelizmente parece que consumado?

2 comentários:

O speedy disse...

Não sei se no futuro não se dirá "Brasileiro de Portugal "!

O J. Teixeira de Aguilar disse...

O chamado "Novo Acordo Ortográfico" não tem ponta por onde se lhe pegue. Já de si cheio de incoerências, a forma como foi oficialmente imposto roça o inadmissível. Também eu pouco mais posso fazer do que esbracejar, mas não deixarei de o fazer enquanto puder. Recuso-me a fazer figura de modernaço usando uma ortografia completamente descabelada que até agora conseguiu um único feito notável: que a maioria das pessoas deixasse de saber escrever.