sexta-feira, 18 de setembro de 2015

EFEMÉRIDES NAVAIS

(O Desertas encalhado)

A 18 de Setembro de 1916, o navio Desertas, devido ao mau tempo de SW, encalhou na praia cerca de 4 milhas a sul da barra de Aveiro. O navio que fora arrestado aos alemães depois da nossa entrada na WW I, não conseguiu com o seu fraco motor aguentar o mar, tendo sido arrastado pelas ondas. Isto passou-se cerca das 2020. Dias depois foi alvejado a tiro por um submarino alemão, na tentativa de o destruir.
Considerando que não era viável o seu desencalhe uma vez que ficara completamente em seco, resolveu-se cavar um canal que ligasse o mar ao braço sul da ria de Aveiro. Posteriormente dragou-se um canal na ria para que o navio pudesse navegar. O navio foi rebocado por uma lancha e juntas de bois até chegar à ria. Destrui-se a ponte que ligava da barra para que o Desertas pudesse passar.
Finalmente saíu para o mar a reboque, pela tarde do dia 20 de Março de 1920.
Posteriormente aterrou-se a abertura do canal mar-ria junto ao mar para consolidação da costa. Muitos anos depois ainda era possível detectar-se o canal em plena ria.

OCEANOS


A 18 de Setembro de 1943, foi aumentado ao efectivo um Lindo nascituro que mais tarde se tornou no OCeano Pereira Vale.
Um grande abraço de parabéns e que vivas muitos anos com saúde.

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

OCEANOS



A 16 de Setembro de 1944, foram aumentados ao efectivo dois nascituros que mais tarde se transformaram em OCeanos:
 Orlando Temes de Oliveira
Carlos Silva Serrano.
A ambos um grande abraço de parabéns e que comemorem por muitos mais anos.

terça-feira, 15 de setembro de 2015

EFEMÉRIDES NAVAIS


A 15  de Setembro de 1765, nasceu o grande poeta Manuel Maria Barbosa du Bocage, que entrou para a Escola da Marinha Real em 15 de Setembro de 1783, tendo tido uma carreira de Oficial da Marinha Real, embora curta.

domingo, 13 de setembro de 2015

EFEMÉRIDES NAVAIS

(Gravura de Tânger no séc. XVI da autoria de Braun and Hogenberg)

A 13 de Setembro de 1437 inicia-se o cerco a Tânger, pelo exército português liderado pelos Infantes D. Henrique e D. Fernando. Foi um estrondoso desaire militar para os portugueses que aí deixaram como refém, o Infante D. Fernando.

A 13 de Setembro de 1500 Álvares Cabral fundeia ao largo de Calecute.