domingo, 2 de março de 2014

Os do costume

No último número do Expresso, Miguel Sousa Tavares escreve mais uma diatribe contra os submarinos e o negócio dos submarinos. Diz, às tantas:" Então ninguém saiu a ganhar com o negócio? Sim, claro: alguns militares e escritórios de advocacia de tráfico de influências _ os primeiros são perigosos como suspeitos, os segundos são demasiado influentes para serem atacados." Com o rigor que lhe é habitual estranho não ter mencionado os nomes dos militares que receberam luvas e, também, por que é que são perigosos como suspeitos. Isto é tão estranho quanto sabemos que o único preso por corrupção neste país é um oficial de Marinha que apanhou sete anos de choça!!! Será que se ele fosse civil apanhava a mesma pena?