segunda-feira, 14 de outubro de 2013

INFERNO

 
Não vou falar de ilegalidades inconstitucionalidades ou ladroagem.
Ponto prévio; perdi a fé cerca dos quatorze anos mas nunca fui nem sou anticlerical ou anticatólico. Tenho total respeito pelas religiões que se reclamam do bem e crêem na vida eterna. Faço questão de estar presente em missas de tristeza ou de alegria. Conheço relativamente bem a Bíblia e a doutrina católica.
Dificilmente hoje nos admiramos das medidas deste governo mas esta do chefe de um partido que se reclama da democracia cristã ofender os mortos cortando-lhes nas pensões que deixaram  para os seus sobrevivos, para que contribuíram na esperança que os seus tivessem mais um amparo, quando ele/a lhes faltasse, tratando-os de igual modo que aos vivos, com sorrisos e hipocrisias, penso, mostra que estamos mesmo a bater no fundo.
Claro que eu sei que esta é mais uma manobra canhestra para desviar a atenção do corte de dez por cento nas pensões da CGA que aí é que se trata de milhares de milhões e não só de cem milhões, menos do que um jackpot do Euromilhões. Mas isto só agrava a coisa pois podiam obter o mesmo efeito económico cortando na pensão do sobrevivo. Contudo, não podem, assim os atingidos percebiam, mais facilmente, que são espoliados três vezes em vez das "só" duas que tocam, para já, aos restantes, CES e10% P.
Tenho pena de não acreditar que, algures, os mortos lhe estejam a preparar a recepção no Inferno com uma sessão de "iscas" utilizando, para "flacteques", exemplares cartonados da CRP. (E lá falei!)

Mudança de nome


O velho International Herald Tribune vai mudar de nome amanhã, mais uma vez. Chamar-se-á International New York Times. Ficamos À bout de soufle com tanta mudança.

domingo, 13 de outubro de 2013

NATÁLIA CORREIA "A BRUXA"

"O declínio de uma civilização reflete-se na maneira como trata o antigo, pessoas e edifícios...As primeiras décadas do próximo milénio serão terríveis...miséria, fome , corrupção, desemprego, violência, abater-se-ão aqui por muito tempo. A Comunidade Europeia vai ser um logro. O Serviço Nacional de Saúde, a maior conquista do 25 de Abril, o Estado Social e a independência nacional sofrerão gravíssimas rupturas. Abandonados, os idosos vão definhar, morrer, por falta de assistência e comida. A esperança média de vida cairá. Espoliada a classe média declinará, só haverá muito ricos e muito pobres." 1993