sexta-feira, 27 de agosto de 2010

MINA NO CHILE

Sempre com a obrigatória reserva que devemos ter com respeito à correcção das notícias que nos chegam; afirma-se que submarinistas chilenos irão ajudar os mineiros que estão encerrados numa mina há não sei qunto tempo e que ficarão assim ainda por bastante.
Não sei que experiência terão estes submarinistas, em termos de sobrevivência em situação extrema, para se arrogarem a transmitir conhecimentos àqueles desgraçados, mas não me consta que a tenham, donde atrever-me a sugerir que podiam enviar pelo buraco uma máquina de projectar com o filme do Errol Flynn "Objectivo Burma" que vi, em imersão, 36 vezes para a frente e 8 para trás. Julgo que me podia inscrever no Guiness. O gozo que dá ver o Errol às arrecuas, agora que dizem que era espião nazi e abichanado deve ser óptimo! Mas era um grande marinheiro além de bom actor, fez quatro filhos, um foi-se no Vietnam, e descendia dos revoltados da Bounty que é o espirito que precisamos ter quando os que mandam não respeitam os que deles dependem como aconteceu naquela mina onde a segurança era fingir.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Espiões militares

Esta silly season estava um bocado morta, vai daí o Ministro da Defesa dá uma entrevista ao jornal i em que, no engodo do jornalista, diz que vai mandar uma célula de informações militares para o Afeganistão e outra, provavelmente, para o Líbano. Como é sabido, a nova LOBOFA criou um serviço de informações militares cuja missão deverá ser a colheita de informações nos teatros de operações onde as forças actuam (a colheita de informação estratégica, rejeitada pelo SIED, parece que não é de ninguém). Agora, esta de o ministro anunciar o início de operações clandestinas é original, se bem que neste país haja uns antecedentes do mesmo calibre, num passado não longinquo. Ao mesmo tempo, SExa anuncia que a partir de Outubro não daremos mais uma força de reacção rápida, ficando só umas equipas de formação no Afeganistão. Então, pergunto, para que servem as informações? Igualmente no Líbano, com uma companhia de engenharia a fazer obras, que informações vão lá buscar os agentes secretos?
Apesar de aparentados com os mouros,não estou a ver o nosso tenente Silva ou o nosso cabo Santos vestidos de beduinos a conviverem com os indígenas, a discutir futebol em urdu ou árabe!
Talvez se fiquem pelo quartel a fazer recortes da imprensa local, aonde apõem no fim o carimbo de confidencial...

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

BOA NOTÍCIA


"Por entre excrementos recentes e embalagens de vinho vazias, há... muita...m*.
O edificio ... com a m* que a Estradas de Portugal, EP construiu custou 1,5 milhões de euros mas serviu apenas dois anos. Inaugurado em 2007, o imóvel foi totalmente esvaziado em 2009 e entregue ao Ministério das Finanças....Há indicios de que ele passou para a tutela do Ministério da Defesa."

Esta noticia publicada hoje no jornal "Público" referente a um edificio e terreno, em total abandono, sitos frente ao Palácio de Queluz, reporta-se a uma banalidade, a que os cidadãos já estão habituados, mas que, maldosamente, os continua a colocar, para desopilar do futebol, a pensar no despesismo do Estado, na corrupção dos politicos e do funcionalismo (alguns) e nas golpadas dos que podem e sabem disso aproveitar-se (alguns).

Mas desta vez, dessa multidão, pelo menos os militares, que também a compoem, estão enganados. Perante a fraca aceitação que "os privilégios" dos militares têm na opinião pública, o Governo, sempre avisado e com isso preocupado, encontrou uma maneira subtil de reforçar o Fundo de Pensões dos Militares das Forças Armadas.

É que, como sempre, cumprido a lei, parte do valor resultante da alienação desse património(certamente a mais inteligente solução a tomar em defesa do interesse público) e que nem era inicialmente afecto às Forças Armadas, a ser verdade que passou para a tutela do Ministerio da Defesa, pode ir direitinho para aquele Fundo, se houver boa vontade, coisa que não falta como se tem visto.

*M