sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Para os Oceanos: Um 2011 o melhor possível!



Viana do Castelo


Aleluia! Foi entregue, provisoriamente, o patrulhão Viana do Castelo. Foi a terceira data este ano, mas, vá lá, conseguiram no penúltimo dia. Veremos quanto tempo leva para entregar o segundo. Quanto ao terceiro e quarto,podemos esperar sentados. Aliás, parece que o estaleiro nem está interessado em exportar estes navios.

Resta saber se já conseguiram elaborar os Manuais de Sistemas, o sistema de Manutenção Planeada e todo o software necessário à formação do pessoal e manutenção do navio.

Boas entradas

Do blogue "Água aberta ... no OCeano" :




Embora o próximo ano não se apresente com grandes perspectivas aqui ficam os votos de

FELIZ ANO NOVO

para os OCeanos e respectivas famílias e para os sempre bem-vindos visitantes e colaboradores.

Que 2011 seja o melhor possível para todos.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

É só negócio


A França anunciou, na véspera de Natal para passar despercebido, que vai vender à Rússia dois navios de assalto anfíbio da classe Mistral, com a opção de se construirem mais dois em São Petersburgo. Os estados bálticos e a Georgia não estão a achar graça nenhuma ao negócio pelas razões mais óbvias. De resto, houve um almirante russo que disse que se já tivessem os navios quando do ataque à Georgia, teriam resovido em 40 minutos o que lhes levou 26 horas a fazer!

Há também controvérsia em França por causa da transferência de tecnologia que isto implica, com o governo a negar o que outros acham evidente.

É o apetite da França pelos negócios de armamento agora aguçado pela crise.

sábado, 25 de dezembro de 2010

25 de Dezembro AM


Que trabalheira tive na noite passada...

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

NATAL

Do blogue "Água aberta ... no OCeano":


Para todos os OCeanos e respectivas famílias, para os nossos visitantes e colaboradores

FELIZ NATAL




(E tem música ... "clicar" na seta à esquerda e esperar uns segundos)

domingo, 19 de dezembro de 2010

Royal Underpants

Segundo notícia da revista Única umas cuecas usadas pela Raínha Isabel II na década de 60 do século passado vão ser leiloadas com uma base de licitação de €6200. Estaria talvez na altura de alguns OCeanos, close to the Royals, fazerem um sacrifício do subsídio de Natal e, antes que a crise bata em cheio, tentarem garantir a propriedade de tão simbólica relíquia. Dizem que o artigo a leiloar foi conservado de molde a não perder o odor original. (Eu pessoalmente não acredito).
Bom Natal e, se puderem, portem-se mal.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Jantar de Natal do OC - 14.12.10

Realizou-se no passado dia 14 o jantar de Natal do curso OC, muito valorizado pela presença sempre simpática e muito apreciada das caras-metade.

A satisfação dos presentes foi profusamente manifestada no final, em especial por um número apreciável de "OCeanas", certamente a querer marcar desde já lugar para o ano que vem.

Ao anfitrião, Camillo Alves (passe a publicidade), que se esmerou na recepção e na apresentação do repasto, os nossos agradecimentos.

Do evento, seguem-se umas chapas artisticamente captadas pelo nosso repórter oficial(izado) Trigo Allen. Para ele, os nossos parabéns e agradecimentos.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Sem comentários!

Em conversa com um amigo, há alguns dias, sobre os resultados do PISA, defendia que era normal, ao fim de alguns anos de experiência, haver uma melhoria dos alunos portugueses porque, conhecendo os professores as características dos itens e dos testes, promoveriam naturalmente o treino dos alunos na resposta a esse tipo de provas e sabe-se que o sucesso dos alunos depende também desse treino. Pessoalmente não vejo mal nenhum nisso, muito pelo contrário, até porque os bons professores tem a preocupação louvável de prepararem e treinarem os seus alunos para os testes que vão realizar.

Embora na altura tivesse considerado saloiice e falta de honestidade intelectual o embandeiramento em arco do "engenheiro" primeiro-ministro não me passou pela cabeça que a desonestidade tivesse chegado até à falsificação dos próprios resultados. Fiquei a saber hoje, através de um blogue e de alguns links que segui ( http://doportugalprofundo.blogspot.com/ ), que as coisas foram bastante mais longe do que seria normal. O ministério da Educação promoveu acções de formação de professores para os preparar para ensinarem especificamente os seus alunos a responderem ao PISA e, para além disso, teria desenvolvido acções no sentido de que a amostra, que deveria ser aleatória, fosse uma amostra enviesada em que os maus alunos fossem excluídos.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

... a penúltima crónica.


Anda por aí um Oceano encartado, que costumava “ondear” no nosso blogue, que lê os jornais com um certo atraso. Eu também sou assim. Leio as “gordas” rapidamente mas deixo para depois, às vezes muito depois, as leituras mais especializadas. Vem isto a propósito da penúltima crónica (4 de Dez passado) de Luís Fernando Veríssimo (LFV)* que aparece nos confins do “Actual”, um suplemento do “Expresso” . Leio sempre com prazer os escritos deste escritor/jornalista brasileiro que, na minha opinião, são geralmente muito interessantes e recheados de fino humor. É claro que também tem dias maus como acontece a qualquer mortal. Pois na sua penúltima crónica LFV alude a dois factos que me levaram a fazer esta “onda”. O primeiro refere-se ao pagamento da última prestação da indemnização devida pela Alemanha aos países aliados vencedores da 1ª (!) Guerra Mundial. No Tratado de Versalhes ficara estipulada a quantia de 33 milhões de dólares que foi paga até 1983 … faltavam os juros que foram finalmente liquidados no mês passado. 33 milhões que hoje não davam para comprar o pé esquerdo do Messi. Levou algum tempo, mais de 90 anos, mas foi tudo pago (presumo que de 1939 a 1945 não foram feitos quaisquer pagamentos). Aqui há uns anos também me garantiram que a comissão liquidatária da Sociedade das Nações ainda não tinha terminado os seus trabalhos … enfim a História tem a sua velocidade própria e não há nada a fazer. E isto traz-me ao segundo facto da crónica de LFV. Diz ele que se lembrou da frase atribuída a Mao Tsé Tung (ou será Mao Zedong?) “quando lhe perguntaram quais tinham sido as consequências da Revolução Francesa: “Ainda é cedo para dizer”, respondeu Mao”.

*LFV é filho do grande escritor brasileiro Erico Veríssimo, o autor de "Olhai os lírios do campo".

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

AJUDEMOS O AUSTRALIANO...

Anda o fundador da Wikikeaks com a justiça a morder-lhe as canelas por esse mundo fora.

Daqui lhe envio uma sugestão para acalmar a sua , decerto grande, angustia.

Peça asilo politico ou simplesmente asilo à republica Portuguesa !

Habituados que estão os "tugas" em todos os niveis da sociedade, a fugas de todos os géneros e para todos os gostos, ( dos processos judiciais em segredo de justiça, de elevadas quantias para paraisos fiscais, de dinheiro depositado em bancos para bolsos sabe-se la de quem, de dinheiros de derrapagens de obras publicas para os mesmos bolsos, etc. ... até às fugas de água na canalização que nos custam os olhos da cara....) seria o senhor Julian Assange muito bem acolhido !!! Decerto teria uma sinecura bem remunerada...

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

CEMA

O CEMA cessou hoje funções e despediu-se numa cerimónia que pode ser visionada no sítio da Marinha. O Alm. Saldanha Lopes toma posse amanhã no paláco de Belém e só lhe podemos desejar muita sorte, porque as circunstâncias são, à partida, muito piores do que as que existiam no início do consulado do seu antecessor.
Da cerimónia de hoje devem-se assinalar dois factos: Primeiro, estava fundeada uma fragata no Tejo, frente ao Ministério, que salvou quando da continência. Segundo, esta terá sido a última cerimónia militar naquele local, que a partir do próximo ano entra em obras e é subtraído à Marinha, deixando de haver lugar para uma cerimónia militar. Ironicamente, para recriar a memória daquele espaço mata-se o presente para recriar o passado.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

O senhor ministro

O último acto de uma peça que se estava a desenrolar, paulatinamente e às claras, teve ontem lugar quando o ministro da Defesa declarou "o meu interlocutor não são os três ramos das Forças Armadas, é o CEMGFA", a propósito da oposição dos três Chefes ao modêlo de gestão do futuro hospital. E agora? Sai o ministro? Saem os três chefes? Sai o CEMGFA? Acaba-se com o aborto do hospital? Ou nada disto?
A pinta de ditador do ministro é conhecida. Moldou a organização à sua imagem.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

FOI ASSIM?

Em memória do tenente Oliveira e Carmo, soldado e patriota, por acaso anti-salazarista





Há histórias da história que nunca esquecem se as tivermos vivido como meninos. Foi o que me aconteceu no dia em que fiz dez anos de vida, então moldado pela propaganda salazarenta. Tinha acabado de passar da terceira para a quarta classe do ensino primário, num ano intenso da minha formação pessoal, entre a escola primária do Arco de Almedina em Coimbra e a frequência da Igreja de Santa Justa dos padres capuchinhos, numa cidade que vivia a crise universitária e onde o meu professor até era um estudante de direito que nos levava o "Paris Match" e nos falava da guerra da Argélia. 


Recordo esses tempos do meu tempo, depois de tomar notas dos incidentes que rodearam o doutoramento "honoris causa" de Cavaco pela universidade de Goa e os artigos com que a imprensa brindou Narana Coissoró. Daí que volte à secura das linhas com que contemplei o dia 18 de Dezembro de 1961 no meu "Tradição e Revolução":




Parlamento da União Indiana declara anexados os enclaves de Dadrá e Nagar-Aveli (11 de Agosto). Nota do Ministério dos Negócios Estrangeiros anuncia que o parlamento de Nova Delhi aprovou a integração dos territórios no território da União Indiana (16 de Agosto). Conferência de imprensa de Franco Nogueira sobre a matéria (6 de Dezembro). Tomás recebe em audiência Salazar (10 de Dezembro). Voltam a reunir-se em 14 de Dezembro. 


União Indiana invade Goa (8 horas de Lisboa, 0 horas, locais de 18 de Dezembro). Na defesa de Diu, morre em combate o tenente Oliveira e Carmo, que não era salazarista, comandante de uma lancha que, antes do infausto, em reunião com os subordinados, proclama: fazemos parte da defesa de Diu e da Pátria e vamos combater até ao último homem e até à última bala.





Nessa noite, cortejo de silêncio em Lisboa. Diz então o cardeal Cerejeira: Portugal não morre, mas a perda da Índia Portuguesa levar- lhe- ia parte da sua alma. Dirá, trinta e três anos depois, Narayane Kaissare: o então ministro da Defesa Krishna Menon ordenou a invasão militar como um acção eleitoralista, poucos dias antes das eleições em Maharashtra


O oposicionista Carlos Sá Cardoso, fundador do MUD, escreve carta para ser publicada no jornal República, onde reconhece: na mais amarga hora de toda a minha vida de português, peço-lhe que permita a um democrata, inteiramente oposicionista e sem responsabilidade nos actuais acontecimentos, que manifeste publicamente, pondo de parte neste momento a discussão das responsabilidades, toda a sua profunda tristeza e o seu veemente repúdio pelo criminoso ataque à nossa Índia com o único e traiçoeiro fim da anexação. A missiva acaba por não ser então publicada, devido às instâncias de Mário Soares e Ramos da Costa. 


Blog:"sobre o tempo que passa", Prof. José Adelino Maltês

domingo, 21 de novembro de 2010

... com os pés!!!


Já não falo na actuação política deste Governo. Nesta área é impressionante a "ilegalidade" moral e social praticada com a autorização para os grandes grupos financeiros pagarem dividendos extraordinários aos "pobres" dos accionistas antes do fim do ano de modo a escaparem a impostos de centenas de milhões de euros enquanto que, por outro lado, esmifram até ao tutano a maioria dos contribuintes de mais baixos rendimentos.
Falemos apenas no âmbito técnico e no passado recente.
A proposta de orçamento de estado para 2011 entra fora do prazo legal no Parlamento. Depois verifica-se que está incompleta e, seguidamente ainda, está errada (e não por pouco). Isto tudo debaixo da responsabilidade directa de um ministro (Teixeira dos Santos) que tinha auréola de competente. Outra cena de outro mundo é a entrada em vigor do pagamento das SCUTS no norte ... uma verdadeira confusão, com as pessoas perdidas no meio do caos que é o processo de pagamento que sofre críticas de todo o lado, até de Espanha. Quem está de certeza a ganhar é a firma que vende os dispositivos (dezenas de milhar atá agora). O dirigente de tal bagunça é o Secretário de Estado das Obras Públicas, Paulo Campos. A última destas misérias é o 20º Congresso das Comunicações onde este mesmo senhor, de manhã, bota faladura com um discurso que à tarde o senhor ministro António Mendonça, seu superior, repete quase na íntegra durante a cerimónia de encerramento.
E ainda estão lá todos ... isto é ou não é governar com os pés?

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

"Pró C... " não ofende ninguém … é só uma muleta oratória e uma virilidade verbal

Da primeira vez li de passagem. Mas ficou-me um bichinho o moer-me a cabeleira (que me falta).
Em casa fui consultar a edição online do Diário de Notícias - http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1713684&seccao=Sul -

Vejam só! Transcrevo com a devida vénia:

"Foi no dia 4 de Agosto de 2009 que, no gabinete do sargento da GNR que liderava um subdestacamento, o cabo solicitou uma troca de serviço com outro militar. Perante a recusa do seu superior hierárquico, tal como vem descrito no acórdão do Tribunal da Relação, o militar disse: "Não dá para trocar, então pró c..." E de seguida: "Se participar de mim, depois logo falamos como homens.""

Os senhores juízes, um dos quais parece que é major general, escrevem: ( e volto a transcrever)

"Para uns a palavra 'c...' vem do latim caraculu que significava pequena estaca, enquanto que, para outros, este termo surge utilizado pelos portugueses nos tempos das grandes navegações para, nas artes de marinhagem, designar o topo do mastro principal das naus, ou seja, um pau grande. Certo é que, independentemente da etimologia da palavra, o povo começou a associar a palavra ao órgão sexual masculino, o pénis." "é público e notório, pois tal resulta da experiência comum, que 'c...' é palavra usada por alguns (muitos) para expressar, definir, explicar ou enfatizar toda uma gama de sentimentos humanos e diversos estados de ânimo. Por exemplo 'prò c...' é usado para representar algo excessivo. Seja grande ou pequeno de mais. Serve para referenciar realidades numéricas indefinidas ('chove pra c...'; 'o Cristiano Ronaldo joga pra c...'; 'moras longe pra c...'; 'o ácaro é um animal pequeno pra c...'; 'esse filme é velho pra c...')" … "Para alguns, tal como no Norte de Portugal com a expressão popular de espanto, impaciência ou irritação 'carago', não há nada a que não se possa juntar um 'c...', funcionando este como verdadeira muleta oratória."

Para além destas linhas acrescenta-se ainda que o cabo e o sargento, apesar das diferenças hierárquica, mantinham uma relação de proximidade e com poucas formalidades.

Depois deste douta reflexão, linguística, etimológica e sociológica, os senhores juízes decidem que, um militar da GNR que "mandou um superior pró c… e que, se ele participasse, depois falariam como homens", numa situação de serviço, em que o superior exercendo a autoridade que lhe é delegada recusa uma solicitação de um subordinado, referente a um acto de serviço, não deve ser julgado pelo crime de insubordinação.

Os juízes tem vindo a queixar-se das leis que os políticos fazem. Depois de ler esta notícia, mas especialmente depois de ler, reler e "treler" a argumentação dos juízes para a sua tomada de decisão, pergunto-me: quem é que no país em que a justiça está entregue a estes juízes se vai atrever no futuro a tomar uma decisão ou dar uma ordem.

Finalmente, uma última reflexão que julgo ser a mais profunda - "vai o país e vamos todos pró c…!"

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

"Da tomada de Goa aos nossos dias"

(Para ampliar, "clicar" na imagem)

À atenção de todos os OC's. A última conferência deste ciclo é no próximo dia 23 e está a cargo do OCeano ARC. O saber e a experiência do conferencista garantem uma palestra de alto nível com a qualidade a que já nos habituou.

45 anos após Juramento de bandeira

Deixei passar, por atraso na leitura, a inserção do NCruz sobre o tema e por tal, em vez de colocar "comentário" aqui deixo a minha ideia, ou seja uma proposta já colocada a alguns mas sem grande sucesso....
A minha proposta é que a espada que nos foi entregue há 45 anos (ou outra que tenha sido adquirida por extravio da inicial..) seja devolvida á Escola Naval para que, depois de inscrevrem o nosso nome na lamina, seja entregue a um novo oficial (que poderia ser por nós indicado ou não). A entrega seria efectuada pelo próprio ou por seu familiar.
Já que não vislumbro qualquer utilização pela nossa parte da espada (a menos que seja partir o bolo de casamento dos netos..) esta atitude resolvia várias coisas:
- o destino, muitas vezes pouco digno, que espera a dita espada (muitas acabam na feira da ladra)
- seria uma maneira de "forçar" a Marinha a estabelecer alguma relação entre gerações de oficiais.
- e já agora, em tempo de crise seria uma economia para a Marinha

Claro que a tradição de pendurar a espada na parede tem muita força mas talvez esteja na altura do pragmatismo.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

A "Sagres" escalou Goa

Chegada a Mormugão (12Nov2010), com o morro e o farol da Aguada ao longe

Na sua viagem de circum-navegação, a “Sagres” escalou Goa e, depois de uma estadia de 4 dias, largou hoje do porto de Mormugão em direcção ao Suez.
Tenho acompanhado a viagem com muito interesse e felicito os responsáveis pela excelência dos relatos que nos têm proporcionado ( http://www.marinha.pt/ e http://www.rtp.pt/ ).
No entanto, os jornais de Goa (http://www.oheraldo.in/ e http://www.navhindtimes.in/ ) noticiaram que houve alguns problemas com os Freedom Fighters, que protestaram contra a presença do navio “por estar a comemorar 500 anos da conquista de Goa”, o que fez com que as autoridades goesas não tivessem comparecido ao almoço que estava previsto a bordo.
O comandante do navio ainda procurou esclarecer que não se tratava de qualquer celebração, mas apenas de uma viagem de instrução de cadetes e de uma goodwill visit, mas aparentemente não teve sucesso, pois o Herald de 14 de Novembro noticiava que as principais autoridades goesas faltaram ao referido almoço.
Quem é que se terá lembrado de falar em 500 anos?
Será que se perdeu mais esta oportunidade para a reforçar os laços culturais entre Goa e Portugal?
Espero com muita curiosidade os próximos relatos da viagem da “Sagres”.


Os Freedom Fighters protestando contra a presença da "Sagres" em Goa (14 NOV 2010). Apesar de serem poucos e terem pouca credibilidade, continuam a perturbar as relações luso-goesas.

A China ajuda



No ano passado houve um movimento católico pelo Natal, que consistiu em pendurar das janelas um estandarte com a imagem do Menino Jesus, para lembrar que o Natal é a comemoração do nascimento de Cristo e não uma campanha comercial patrocinada pelo Pai Natal fardado pela Coca-Cola. Aconteceu que o dito estandarte vendido nas igrejas era bastante caro. Este ano está o problema resolvido, pois as lojas chinesas já estão a vender o estandarte a preços de chinês.

Ora digam lá que não são amigos...

domingo, 14 de novembro de 2010

A Segurança no Mar Português

A revista "Segurança e Defesa" publicou sob o título em epígrafe um excelente artigo do Alm. Reis Rodrigues onde argumenta e desmonta um artigo anteriormente publicado na mesma revista, da autoria do Coronel Armando Carlos Alves, da GNR, que preconizava uma divisão de tarefas entre a GNR e a Marinha, em que esta se encarregava da ZEE e do "oceano moreno" e CPLP, enquanto que a GNR se encarregaria do mar territorial (logo, navios).
Infelizmente o artigo não está disponível on line, e é muito extenso para ser reproduzido aqui, pelo que só resta obter a revista. Pena.

sábado, 13 de novembro de 2010

Arte e Cultura

Grandes bailarinos e acrobatas chineses.
Vale a pena ver, pela beleza das figuras e perfeição na execução dos movimentos.
É extraordinário o profissionalismo e técnica que exibem.

Baton Rouge

Luxo, luxo é isto ... 62,50 metros de super iate, a navegar desde Maio 2010. É o "Baton Rouge" e está atracado na Marina de Cascais. Se alguém estiver interessado em mais detalhes pode ir aqui.






Um País de Luxo

Considero absolutamente imperdível o artigo do Comendador Marques de Correia, publicado hoje na revista "Única" do semanário "Expresso", o qual reproduzo com a devida vénia.

E fez-me lembrar de uma história para crianças, com muito menos nível e categoria do que esta, publicada por mim neste blogue, há bué, bué de tempo, sobre uma Pátria, situada bué, bué de longe, num jardim à beira mar plantado.

Tenham um bom fim de semana.

Um grande abraço!

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

11 de Novembro


É hoje o Dia do Armistício, assinalado pelos antigos combatentes em toda a Europa. Em Inglaterra os islâmicos que lá moram fizeram uma manifestação contra as celebrações, devidamente guardados pela polícia. Pelo que dizem, os soldados deles estão no paraíso enquanto que os ingleses estão no inferno. Ou seja, os que vivem à conta do contribuinte vão para o céu, os que pagam os impostos vão para o inferno. Não está longe da nossa realidade.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Mais fotos do almoço de 9.11.2010

A pedido do outro fotógrafo oficial do curso, Trigo Allen, aqui ficam mais umas chapas.










terça-feira, 9 de novembro de 2010

Almoço OC (09Nov2010)

A Dívida Pública

Vendo esta notícia pelo preço que paguei por ela. Disseram-me que este texto foi publicado no jornal republicano "A Vanguarda", no dia 23 de Agosto de 1895.

Se não é verdade, pelo menos é muito bem apanhado, como dizia (mais ou menos) um certo italiano.

Tenham um bom resto de semana.

E já lá vão 45 anos, feitos hoje...

...que o curso "Com. Oliveira e Carmo" jurou Bandeira.

Recordemos com saudade os que já partiram e comemoremos, os que cá estamos, com a amizade, camaradagem e solidariedade que sempre caracterizaram o curso dos "OCeanos".

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

O Mar Português

Com a devida vénia, transcrevo a "Carta da Semana", com o título em epígrafe e da autoria de Miguel Magalhães Ramalho, publicada no semanário "Expresso" do passado dia 6.

Sem quaisquer comentários adicionais porque "Comentários, para quê?".

Um abraço e até amanhã, na "Tertúlia do Tejo".

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

CEMA

Segundo o D.N. o V.Alm. Saldanha Lopes vai ser nomeado CEMA por proposta do governo. É a escolha certa e uma distinção bem merecida pelo nosso camarada e amigo.
Desejamos-lhe as maiores felicidades nestes tempos difíceis e muitos parabéns.

domingo, 31 de outubro de 2010

Políticos e Políticas!

GNR - Unidade de Controlo Costeiro

Lisboa, 27 Out (Lusa) – O presidente da Comissão de Defesa Nacional, José Luís Arnaut, criticou hoje a “duplicação de meios” da Guarda Nacional Republicana, através da Unidade de Controlo Costeiro e da Marinha Portuguesa, durante a visita parlamentar à base do Alfeite.

Orgânica da Guarda Nacional Republicana aprovada na AR, em 19-09-2007, com os votos a favor do PS e PSD, a abstenção do CDS-PP e os votos contra do PCP, BE e PEV:

http://www.parlamento.pt/ActividadeParlamentar/Paginas/DetalheIniciativa.aspx?BID=33486

SECÇÃO III

Unidades especializadas, de representação e de intervenção e reserva

Artigo 40.º

Unidade de Controlo Costeiro

1 — A UCC é a unidade especializada responsável pelo cumprimento da missão da Guarda em toda a extensão da costa e no mar territorial, com competências específicas de vigilância, patrulhamento e intercepção terrestre ou marítima em toda a costa e mar territorial do continente e das Regiões Autónomas, competindo-lhe, ainda, gerir e operar o Sistema Integrado de Vigilância, Comando e Controlo (SIVICC), distribuído ao longo da orla marítima.

2 — A UCC é constituída por destacamentos.

3 — O comandante da UCC tem o posto de major-general ou, quando o nomeado for oficial da marinha, contra -almirante, e é coadjuvado por um 2.º comandante

“in”:Diário da República, 1.ª série — N.º 213 — 6 de Novembro de 2007

Novas armas e instrumentos de dominação”.

Responsabilidade social dos trabalhadores científicos

"Gaugin, que sentou a sua Eva junto à 'árvore da Ciência
do bem e do mal', tapando os ouvidos para ignorar o
sussurrar encantatório da serpente"

Submarinos

Submarinos reformados passam a museus em Viana e Cascais:


Submarinos

ESTADO DEVE VENDER OU ALUGAR OS SUBMARINOS”


A par da necessária “redução da despesa pública, começando pelo despesismo e pelo desperdício público”, Portugal “tem de ver se tem alguns activos para vender ao estrangeiro, de modo a aumentar a receita pública e a reduzir a dívida pública e a dívida externa”, avisa Miguel Cadilhe.


Instado a elencar alguns exemplos, o ex-ministro das Finanças, numa visão em tudo coincidente com a defendida há dias pelo Bloco de Esquerda, não hesita: “Portugal deve vender os submarinos”. Diz Miguel Cadilhe que não sabe como está “o mercado secundário, em segunda mão, dos submarinos”, mas assegurando que está a “falar a sério e com todo o sentido de responsabilidade”, defende que Portugal deve tomar essa opção, “desde que o preço não venha implicar um prejuízo severo”. Se a venda for “pouco aconselhável por razões de preço”, recomendaria “alugar os submarinos”.


Recorde-se que Portugal já recebeu um dos submarinos – o “Tridente” - e prepara-se para receber, “ainda este ano”, de acordo com o ministro das Finanças, o segundo – o “Arpão” -, dos estaleiros alemães da HDW. Os dois navios custam ao Estado português 1030 milhões de euros.

“in” Vida Económica 29-10-2010

“ESTADO DEVE VENDER OU ALUGAR OS SUBMARINOS”

Halloween


Para animar a noite das bruxas. Isto do Haloween substituiu o pão por Deus, que é amanhã.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

A outra marinha

Verdadeiramente importante nas notícias de hoje é o facto de o Ministro da Administração Interna e o comandante da GNR terem sido chamados ao Parlamento para explicar para que serve a marinha da GNR. Claro que dirão que é para cumprir a missão, mas talvez não digam que a lei orgânica de 2007 saiu à medida para lhes dar uma marinha.
Os meios são caros, a taxa de utilização é baixa e o resultado é o desperdício. Estava escrito que não se pode andar no mar de botas altas.

Fundo de Pensões

Fala-se agora em passar o Fundo de Pensões dos militares para a Caixa Nacional de Aposentações. É estranho, porque o fundo foi criado precisamente para proteger os militares da CNA. Assim, será entregar o ouro ao bandido.
Por falar em bandido, dizem que a Galp já leva 48% de aumento dos lucros este ano. E o petróleo a descer...

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Orçamento

Devo estar "apanhado". De repente, veio-me à cabeça que passámos do Orçamento para o seu oposto, que deve ser Arribamento.

domingo, 24 de outubro de 2010

Derrapagem no Orçamento

Segundo ouvi esta noite na TVI, de acordo com o Prof. Marcelo, a derrapagem na realização do orçamento (como não estava com muita atenção, não atinei se se tratava do orçamento de 2009, se o de 2010) foi menor, em termos da nova unidade monetária inventada pelo João Nuno, do que meio submarino.

Tenham uma boa semana (do que quer que seja!)

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Submarino em apuros


O submarino britânico "Astute" encalhou enquanto transferia pessoal e abastecimentos muito perto de terra e perto da sua base. Aparentemente houve um erro de avaliação do local para tal manobra, o que surpreendeu os marinheiros locais habituados ao movimento e exercícios naquela área. O navio vai ser safo por rebocadores de alto mar estacionados na zona, que foram recentemente postos na lista de abate por causa das economias! Lá se iam 1200 milhões de libras por via da crise. Repare-se na fotografia como o navio está leve e a largar vapor, para ajudar a sair com a maré.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Rodovias (Mota-Engil, BES ...)

Verba atribuída à Ascendi afinal era para a banca:


"Lapso" do OE
Dotação que estava para a Ascendi afinal é para banca:

Activos Nacionais

Nem tudo é crise. Ainda temos coisas boas.
Utilizem o "link" e vejam:

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Rodovias (Mota-Engil, BES ...)

ASCENDI (http://www.ascendi.pt/#)


Na proposta de OE2011 (http://www.min-financas.pt/inf_economica/OE2011/Rel-2011.pdf) está previsto para reposição do equilíbrio financeiro da ASCENDI o valor de 587,2 milhões de euros. No OE2010 está inscrita para aquele fim a verba de 150,7 milhões de euros. Aumento de 289,6%.
Dá para acreditar? Vejam.
A propósito. Os órgãos de comunicação social, e não só, já estão a publicar sobre o tema:

domingo, 17 de outubro de 2010

ET VOILÁ

Comprei hoje este livro.
Para além do seu interesse histórico e valor de antigo , mostra bem a "qualidade" da Armada , já nesse tempo , ainda a nossa monarquia constitucional, um exemplo para a Europa.
O mal é virem indivíduos sabe-se lá de onde a quererem fazer leis e reformas todos os dias.
Deixem estar como está, por favor!!!!!