sábado, 17 de outubro de 2009

"Paisanice" ou "Bandalheira "no Hospital de Marinha ? - II

No passado dia 13, terça-feira, tive que voltar ao Hospital de Marinha, desta vez para uma consulta de estomatologia. Imaginem que já ia mentalizado para ser, novamente, "maltratado"...
Eis, senão, o meu espanto, quando o guarda da porta do arco que me pediu a identificação, conforme podia e devia, depois de o fazer cumprimentou-me segundo os cânones militares!
Depois, já no serviço, fui atendido com simpatia e respeito pela funcionária da recepção.
Apesar da demorada espera, de que logo fui prevenido e justificada pelo facto de duas das médicas terem sido "desviadas" para um exame directo, fui consultado por uma jovem 2º tenente que, com simpatia e eficiência, levou a cabo o acto médico que ali me levou tendo-me, inclusive, alertado para problemas que estavam a surgir numa intervenção que eu fora obrigado a efectuar num dentista civil por a estomatologia da Marinha não a realizar!
Por ser de justiça e para que se não diga que só relato coisas más, aqui fica o meu testemunho.
Ou estava num dia de sorte, ou algo está a mudar no Hospital de Marinha!

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Padre Paul

Os que andaram pelo Lago Niassa na decada de sessenta conheceram ou ouviram falar do padre Paul, um missionario anglicano que chefiava a missao de Messumba, logo a Norte de Metangula.
Estou em Inglaterra (dai este post nao ter acentos) e ao ler o jornal de hoje dei com uma extensa nota necrologica noticiando a morte deste padre. Vale a pena recordar que as missoes protestantes nao eram bem vistas pelas autoridades portuguesas, que sempre suspeitaram do seu apoio aos movimentos emancipalistas. Esta nao era excepcao e o proprio padre explanou o seu papel no apoio as populacoes e aos combatentes no seu livro, que foi um best seller em 1975, chamado Mozambique_Memoirs of a Revolution, editado pela Penguin. O padre Paul chegou a Mocambique em 1957 depois de passar um ano em Lisboa a aprender portugues e a tirar a carta de conducao, e manteve-se no Niassa ate 1970, de onde saiu por doenca, regressando a sua patria. Fiquei com esta personagem na memoria por causa de um episodio que se passou comigo em 1967, estava eu temporariamente em Metangula a comandar uma LFP. A missao anglicana de Messumba pertence a diocese anglicana dos Libombos, cujo bispo era um portugues do Porto, dr. Pina Cabral, que na altura resolveu fazer uma visita a missao. Lembro-me que aterrou em Metangula e seguiu para a missao ja nao sei como, sendo certo que por estrada nao se transitava por estar minada (pelo menos para nos...). No dia seguinte vem um convite do padre Paul para a Base de Metangula para nos fazermos representar numa pequena festa por ocasiao da visita do bispo. So havia uma maneira de ir ate a missao, que ficava numa pequena elevacao sobranceira a margem do Lago, e que era de lancha de desembarque. O Comandante da Defesa Maritima de Metangula achou por bem que quem o devia representar seria eu, acompanhado por um outro oficial da Reserva Naval de cujo nome ja nao me lembro. A hora aprazada os dois garbosos oficiais, fardadinhos de branco, embarcam na LDM e rumam a Norte, sem mais nada combinado e com alguma apreensao. Passada uma hora de caminho abicamos a praia e saltamos em terra, mesmo no meio de um povoado e perante o olhar espantado da populacao. Um espectaculo e prontos a ser apanhados a mao. Seguimos resolutamente terra a dentro, seguidos por uma chusma de miudos e pelos olhares inquisitivos do povo. O percurso era mais longo do que parecia visto do Lago e ja comecava a ficar apreensivo com a nossa sorte, quando da picada surge uma Unimog com uma seccao de soldados armados, que nos olhava como se fossemos extra-terrestres. La nos levaram ate a missao, onde nunca tinham visto os seus vizinhos mais proximos assim tao bem vestidos e descontraidos. Cumprida a missao e a hora aprazada voltamos a praia conduzidos pela tropa, onde nos esperava a LDM. E la voltamos a Metangula, com um suspiro de alivio e a cair em nos de tamanha imprudencia. De facto nao houve o minimo planeamento com o Exercito nem os padres tinham a certeza de nos irmos...

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Littoral Combat Ship - 2

Eis algumas imagens deste espectacular navio, um trimaran que será o futuro USS "Independence". É verdadeiramente um conceito inovador ... a mim faz-me lembrar as naves espaciais da "Guerra das Estrelas". São 127 metros de comprimento e 2 800 toneladas que podem ir aos 51 nós (!). Será a grande arma da USNavy (talvez em 2010) para operações junto dos litorais e especificamente apetrechado para contrariar ameaças assimétricas (pirataria e outras) podendo ser adaptado, com módulos embarcados inter-mutáveis, para as guerras de minas e contra-medidas, anti-submarina e de superfície. Previsto para custar cerca de 250 M US$ já vai em mais de 700 M. As provas de mar foram em Jul09 e podem ser vistas no Y-Tube se pesquisarem em LCS-2.




Nota: Para ampliar, "clicar" sobre as imagens.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Almoço OC (13OUT09)

Após alguns meses de interregno voltou a realizar-se, no lugar do costume, o habitual repasto das segundas terças-feiras de cada mês. Eis as imagens do evento ... os dados estatísticos ficam a cargo do "penicão", à laia de comentário. OK?



Nota: As imagens podem ser ampliadas "clicando" sobre as mesmas.

domingo, 11 de outubro de 2009

SEXO

Estão a ver porque não ilustro. Com este titulo? Perdido, em meditação no primaveril Algarve, li ( Correio da Manhã) um desmentido da Marinha (Será?) de que o trio de sexo explícito proporcionado por militares da Marinha e exibido na Internet não foi praticado numa Unidade Militar. E isto porque a Marinha presa (diz o comunicado?), entre outros valores, o da Disciplina. E eu convencido que o sexo a três requeria precisamente grande Disciplina. Mais que não seja porque eram dois com uma e nunca se sabe o que aquele que está momentaneamente desocupado poderá ser tentado a fazer. Claro que há gostos para tudo mas...! pessoalmente nem sequer "alho" jamais cá entrou.
Mas fora a graça "pesada?" isto é verdade? Alguém esclarece? Eram militares da Marinha ou tipos fardados como tal? E, na afirmativa, a Marinha investigou mesmo se eram seus membros e, se sim, já os sancionou ou está em vias de o fazer? A esmola de um esclarecimento!...
Claro que eu sou a favor das liberdades mas existem normas sobre uniformes militares que impedem o seu uso para estas finalidades. Já sei que alguns, enquanto jovens, colocaram o boné nalgumas meninas com "más" intenções (vossas) mas não vieram exibir-se para o " etubo" pois não?
E a Marinha já não tem mais que fazer que desmentir o Correio da Manhã?