sábado, 28 de março de 2009

AINDA CÁ ESTOU RAPAZES


Ainda cá estou , pessoal. E é pra ganhar , com a minha inteligencia , sabedoria , contactos e , naturalmente o saber , a inteligencia e os contactos do Carlos Queiroz.
Ou não fosse ele Professor e ganhasse 170000€ mês. que vocês pagam.Repararam naquela tactica de mestre em jogar com 4 defesas centrais para marcar golos? Tivemos foi azar.
E jogar sem avançados. Toparam ? é do melhor
É pá . mas estejam confiantes , que eu ainda cá estou.Ainda falta a Noruega jogar em Oslo com Malta , a Hungria em Budapeste com a Albânia e a Suécia em Estocolmop com as Ilhas Faroe.
Eu ainda cá estou....e estarei.

sexta-feira, 27 de março de 2009

O Artigo de Marinho Pinto que tanta controvérsia levantou

http://www.oa.pt/upl/%7Be9c642f0-45cd-4368-8737-19044506cb87%7D.pdf

A política de Investigação Criminal e o Bastonário da Ordem dos Advogados

Por ter plena actualidade face à polémica levantada pelo artigo do Dr. Marinho Pinto transcrevo um excerto do Discurso do Bastonário da Ordem dos Advogados ao 2º Congresso de Investigação Criminal

"Quando a investigação criminal é notícia em Portugal, é-o, quase sempre, por maus motivos.

A prevenção e a repressão dos crimes constitui uma das mais relevantes funções do Estado de Direito Democrático, que deve ser devidamente valorizada.

Por isso deve estar a cargo apenas de polícias altamente especializadas como é a Polícia Judiciária e não de entidades vocacionadas para a defesa de outros valores mesmo que igualmente relevantes no estado de direito.

Infelizmente, opções políticas erradas levaram a que outras forças policiais vocacionadas apenas para garantir a segurança de pessoas e bens, fossem também redireccionadas para a investigação criminal.

As consequências dessas opções não são positivas, pois não só não melhorou a eficácia de investigação, como conduziu a uma diminuição das garantias de segurança.

Os recursos – que até nem são assim tão elevados – que deveriam ser canalizados unicamente para a segurança dos cidadãos e dos seus bens, passaram também a ser canalizados para acções de investigação criminal, conduzindo por vezes a situações de emulação entre investigadores altamente prejudicial para a sua eficiência e credibilidade.

segunda-feira, 23 de março de 2009

VERGONHA

Este brasileiro desportista(?) tem de levar uma punição exemplar , que roçe a proibição de jogar , pelo menos no nosso País.

Com razão para estar desesperado pela injustiça, não pode atirar fora um trofeu ganho pela sua equipa , numa competição nacional.

Não há desculpa. Espero que este sujeito regresse rápido à sua terra natal e não apareça cá tão cedo