sábado, 14 de março de 2009

Almirante Gago Coutinho

Aqui deixo uma referência a um blogue relativo ao Almirante Gago Coutinho, enviada por um civil terráquio, meu familiar e amigo.

Acho que vale a pena visitá-lo!


http://gagocoutinho.wordpress.com/

Energias Renováveis em Portugal

O camarada António Vasconcelos da Cunha enviou-me a referência ao "sítio" abaixo, de uma pequena reportagem relativa a energias renováveis em Portugal. Senti-me bem!

http://www.cbc.ca/mrl3/8752/news/features/durham-portugal081020.wmv

Tenham um bom fim de semana!

Sol de Inverno


Estamos a 14 de Março e ele aí está, em força ... aqui mostra-se em plena forma na praia do Tamariz.

Quanto aos estaleiros de Biana deveriam seguir o exemplo dos desportistas que se seguem e dedicarem-se à pesca!!!


Os Patrulhas não estão sós…

Podem ler a notícia no Expresso (Dizem que é uma espécie de navio…) clicando aqui

O chinês voador


Já conheciamos o Flying Dutchman , agora os chineses, com a mania da produção em massa, estão a produzir chineses voadores para exportar para a Europa. Podem ser úteis na G.N.R., por exemplo!

sexta-feira, 13 de março de 2009

SEXTA FEIRA 13

Estás a olhar para mim?

INÉDITO


O "Alforreca" (de azul) acompanhado de desportistas anónimos numa corrida matinal

quinta-feira, 12 de março de 2009

Velharias


Quantos dos leitores estiveram aqui?

Aproveito para mostrar o físico de há 40 anos...

quarta-feira, 11 de março de 2009

Novamente a GALP

Não desisto e pelos vistos não estou só:
11 Março 2009 - 09h00 CORREIO DA MANHÃ
Cozido à portuguesa
A Galp chupa-chupa
Na passada quarta-feira, 4 de Março, a orgulhosa Galp anunciou os seus resultados de 2008. Ninguém se incomodou com o facto de a companhia petrolífera ter declarado um lucro de 478 milhões de euros, dos quais 105 milhões vieram direitinhos da lentidão de ajustamento à descida dos preços do petróleo internacional.
Ou seja, a Galp passou vários meses a demorar intencionalmente a descida dos preços da gasolina e do gasóleo ao público, ganhando com isso a módica quantia de... respire bem fundo, 105 milhões!
A administração e os accionistas da Galp sentiram certamente grande alegria pelo facto de a empresa ter tido um ano histórico de aumento de lucros. Em momento algum lhes passou pela cabeça que estavam a cometer um grave erro, faltando ao respeito aos seus conterrâneos! Claro que não: para eles era apenas uma forma esperta de ganhar mais dinheiro à custa do mexilhão. De cada vez que iam às bombas atestar, os portugueses pagavam sempre mais do que deviam. O preço do petróleo a descer a pique e nas bombas aquela teimosa resistência à descida, aquela sacanice tão típica de grande empresa que se está nas tintas para nós.
É por estas e por outras que eu, não sendo de esquerda, percebo perfeitamente a raiva que a esquerda destila contra as grandes empresas. O exemplo que a Galp deu ao País foi o de uma empresa insensível e predadora, que só se interessa em "maximizar o lucro", ou seja, encher os bolsos dos accionistas, e nem por um instante se incomoda com o facto de poder estar a cometer ilegalidades. E a responsabilidade social, para a Galp, não existe? Nas escolas de gestão mais avançadas, onde certamente estudaram muitos dos administradores da Galp e das empresas suas accionistas, ensina-se uma coisa chamada responsabilidade social, que no fundo é preocuparmo-nos com o mundo à nossa volta e não olhar para os consumidores apenas como malta a quem vamos chupar o dinheirinho o mais possível. Infelizmente, foi isso que fez a Galp. Chupou, chupou, chupou até mais não poder.
Infelizmente também, em Portugal não há no PSD ninguém capaz de tornar estas situações numa arma de arremesso política contra o Governo. Sobre o assunto, o PSD disse nada. Não vou aqui especular porquê, mas apenas dizer que o silêncio do PSD foi a medida da sua confrangedora incapacidade. Quem perde uma oportunidade política de ouro como esta para enfurecer a população contra o Governo e com isso se afirmar como alternativa não merece ganhar eleições.
Domingos Amaral, Director da ‘GQ’

Almoço OC - 10MAR09

A pedido do autor, o OCeano Trigo Allen, aqui ficam mais umas fotos do nosso almoço último.
BubbleShare: Share photos - Find great Clip Art Images.

Pessimismo ou lucidez?



Pode ser que Medina Carreira suscite uma gargalhada à Voltaire (Cândido) ou um calafrio à Edgar Allan Poe (A Queda da Casa de Usher). Uma coisa é certa: não nos deixa indiferentes. Nada se perde em prestar atenção ao que ele diz: é muito do que alguns pensam, mas não querem, não podem ou não se atrevem a dizer. No fundo, é muito ténue a fronteira entre o pessimismo e a lucidez. 
A quem não o viu e ouviu, recomendo uma visita ao blogue "Sorumbático".


terça-feira, 10 de março de 2009

Sugestão


Tipo de bola ( pode ser esverdeada) a ser utilizada por um determinado clube (clube com é) nos confrontos internacionais de futebol. Safa ... 7 a 1!!!

Almoço OC (10Mar09)

No último almoço não houve fotógrafos ... no de hoje tivemos, pelo menos, dois. Vamos ver se aparecem mais resultados.

BubbleShare: Share photos - Find great Clip Art Images.

segunda-feira, 9 de março de 2009

COISAS BOAS


Fabuloso. Como se consegue uma ideia destas?

domingo, 8 de março de 2009

Submarinos

Enquanto eminentes estrategas portugueses continuam a pôr em questão a construção de submarinos, em Espanha é anunciado o início da construção do terceiro, de uma série de quatro, submarino da classe S-80. Recordo que foi em 2003 que, com carácter prioritário, o governo os mandou adquirir, para manter a liberdade de acção e mobilidade da Força Naval, devendo ser de propulsão independente da atmosfera (AIP) e com capacidade de lançamento de mísseis contra terra. As missões são: Projecção de poder naval, operações especiais, protecção de uma força desembarcada, vigilância, protecção de força naval e dissuasão.
Obviamente que não pediram a opinião do Cadilhe...

A crise

Li hoje, na edição "on-line" do Correio da Manhã, que a crise está a afectar seriamente o sector imobiliário. Parece que sim, que as coisas estão complicadas para alguns que não vendem nada. Mas vejamos um caso concreto apresentado naquele jornal. Numa urbanização de luxo na zona de Portimão, e porque o investidor não as consegue negociar, estão à venda por 350 000 € dezenas de habitações avaliadas em mais de 600 000 €. E, continua o periódico, o promotor "precisa de vender para facturar e está disposto a perder algum do lucro que iria ter com a venda das casas". Esta situação é "explicada" ao CM pelo senhor Pascoal Santos, um perito na área, director da Remax Sun na praia da Rocha, o qual não tem dúvidas de que "esta é a melhor altura para investir para quem tem dinheiro disponível".
No meio disto tudo fico um pouco baralhado ... então o "promotor", coitado, está a vender casas de 600 000 por 350 000 e ainda tem lucros? Que crise é esta? De ganância não é, certamente!!!