quinta-feira, 19 de junho de 2008

Outro naufrágio à babugem

Mais uma embarcação de pesca encalhou quando andava de noite a pescar junto à rebentação na praia. Mais uma vez aparece um tal senhor Festas aos berros na televisão, a desviar a atenção dos papalvos, clamando que os socorros chegaram tarde e que o I.S.N. só trabalha das 9 às 5. O capitão de porto meteu os pés pelas mãos e diz que este é o país que temos. A comunicação social chama-lhe um figo.
É um facto que as estações de salva-vidas estão deficientemente guarnecidas porque durante muitos anos não foram autorizadas pelo governo admissões de pessoal. Concursos posteriormente abertos ficam desertos porque, creio eu, ninguém quer correr perigo de vida com um vencimento miserável. Assim, no período nocturno as guarnições dos salva vidas ficam em casa "on call"; se morarem perto tudo bem, se morarem longe tanto pior. Mesmo assim, actualmente a polícia marítima, que já tem mais meios, avança sempre. O cerne da questão não está no socorro, está na causa dos naufrágios. Estes são devidos ao procedimento irresponsável, incompetente e criminoso dos mestres das embarcações, que violam a lei e todas as normas de segurança, são ignorantes do seu ofício e põem deliberadamente em perigo a vida das tripulações e a integridade das embarcações. Disto não fala o tal presidente da Associação Pró Maior Segurança dos Homens do Mar, nem fala a comunicação social.
Era bom que o MDN se explicasse. Com tanta estratégia para o mar, a formação é cada vez pior, a Escola de Pesca e Marinha de Comércio foi extinta e vai ser demolida para dar lugar à Fundação Champalimaud. Ah, parece que vão criar outra coisa do género, mas agora onde é que a vão colocar? Na Serra da Malcata?

ESTAMOS SEMPRE NA FRENTE.....

Angola pode apoiar a estruturação e formação de quadros da Marinha da Guiné-Bissau para que esta possa corresponder às necessidades de fiscalização e segurança marítima.Esse desejo foi manifestado ontem pelo chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas da Guiné-Bissau, tenente general Baptista Tagme Na Wae, durante a visita que efectuou às instalações do Estado-Maior da Marinha de Guerra Angolana.No decurso da visita, o tenente general Baptista Tagme Na Wae e a delegação que o acompanha foram recebidos pelo chefe do Estado-Maior da MGA, Almirante Augusto da Silva “Gugu,” e obtiveram informações sobre o funcionamento deste ramo, bem como os esforços desenvolvidos no âmbito da Reedificação das Forças Armadas Angolanas.No final, o responsável da Área de Cooperação das Forças Armadas da Guiné-Bissau, coronel Celestino, informou à imprensa que a situação da Marinha daquele país de língua oficial portuguesa era marcada por dificuldades, próprias da conjuntura que o país vive, daí a necessidade de reforçar a cooperação com Angola. O oficial bissau-guineense explicou que devido à própria característica da sua Zona Económica Exclusiva (ZEE), o país é bastante rico em recursos haliêuticos. O objectivo da nova política de desenvolvimento do sector da pesca, consiste em maximizar os benefícios provenientes da exploração dos recursos do mar tanto para o abastecimento do mercado como para exportação.Em Luanda desde sábado passado, o chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas da Guiné-Bissau manteve já um encontro com o seu homólogo angolano, general Francisco Pereira Furtado. Durante conversações entre as duas delegações militares, chefiadas pelos respectivos chefes dos Estados Maiores Generais, os dois países definiram o quadro da coperação.

AGARRA O VERÃO , Amigo

Começa amanhã o Verão. É verdade. Não será a 21 de Junho , mas a 20.

É que o solstício este ano é ás 2359 de 20 de Junho e , aí , começa o dito .


Começa segundo Pinheiro de Azevedo e Cyrne de Castro.....mas segundo o aquecimento global já
não sei.

HEROI de BASILEIA



Este Homem foi fabuloso , hoje.
Brasileiro , que não canta o nosso hino , foi um jogador que sangrou de suor e lágrimas a "camisola da quinas" , como de antes lhe chamavamos.
Fantastico. Merece , sem a menor duvida , pela entrega e pelo talento , ser muito destacado. E premiado.
O resto , a noite de hoje , não comento

LEMBRAR 64

A Sagres estará em Cabo Verde de sábado a quarta-feira, o primeiro porto de viagem que o vai levar ainda a S. Tomé, Angola, África do Sul e Moçambique.
Na Cidade da Praia vão embarcar dois praças cabo-verdianos, que farão parte da guarnição do navio até Outubro, altura em que a Sagres regressa a Cabo Verde.
Os dois elementos da marinha cabo-verdiana farão um treino no navio no âmbito do relacionamento bilateral e da cooperação técnico-militar entre Portugal e Cabo Verde.
É nesse âmbito que em Outubro, no Mindelo, ilha de S. Vicente, o comandante do navio, capitão-de-mar-e-guerra Luís Proença Mendes, em conjunto com a cooperação técnico-militar portuguesa, fará uma acção de formação nas áreas de mecânica, electricidade, saúde, marinharia, navegação, administração naval e comunicações, destinada a militares cabo-verdianos.
O navio-escola Sagres saiu de Portugal no passado dia 10, escala Cabo Verde no próximo fim-de-semana, e de 12 a 14 de Julho estará em S. Tomé e Príncipe.
A viagem segue depois para Luanda (17 a 21 de Julho), Lobito (26 a 30), e Cidade do Cabo, de 14 a 21 de Agosto, terminando com uma estada em Maputo, de 31 de Agosto a 05 de Setembro.
A viagem de regresso, tem paragens em Port Elisabeth, (10 a 14), Lobito (28 de Setembro a 02 de Outubro) e Mindelo, de 23 a 27 de Outubro. A chegada a Lisboa está prevista para meados de Novembro, depois de uma paragem de cinco dias nas ilhas Canárias.
.

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Conferências na Fundação Calouste Gulbenkian

Conforme tinha informado na 2ª feira, fui hoje assistir à conferência "Aquecimento Global: A Caminho da Autodestruição ou da Engenharia Climática Planetária", proferida pelo Prof. Doutor Ricardo Aguiar.
Muito boa! Valeu a pena!

A NOVELA DA TVI

Capítulo 3


http://www.tvi.pt/ (ver em "a outra")


Pois é. Diz "Original de Tozé Martinho) . E começou a novela. Uma historia de uma rica mulher e herdeira , que vai com o marido e a amante deste a Moçambique , vao aos leões ela é atacada , os outros julgam que morreu , ela sobrevive , faz uma plastica , volta , ele não sabe quem é mas apaixona-se por ela.....lindo.
Só que , em 1984 , houve uma mini serie australiana , com uma historia igualzinha. Não era Moçambique mas a propria Australia , não eram leoes mas crocodilos , o rapaz era tenista , enfim.Fotocópia.
Pode ser que haja uma explicação, e certamente haverá. Mas assim à primeira isto parece grave , mesmo muito grave.
Têm aí tudo para ler e ver .
O que vale ao Martinho é que os australianos nem sabem que ele existe

Tratado de Lisboa pode esperar

Opinião de Ribeiro e Castro

Tão importante como debater as razões do “Não” irlandês, é não insistir numa linha de prosápia que deitaria tudo a perder. Já choveram declarações fortes. Mas, nesta crise institucional, os irlandeses, e os europeus, pedem mais luz do que apenas calor. A calma é boa conselheira, a maior aliada da sabedoria.
É cedo para saber o que irá acontecer com o Tratado de Lisboa e mau é que os líderes se precipitem. Há que deixar assentar todos os ecos e esperar dois elementos essenciais que a reunião de amanhã do Conselho Europeu deixará perceber. Primeiro, o que pensa o governo irlandês? O Tratado acabou? Ou tem outras ideias? Segundo, o que querem os outros oito Estados-membros que ainda não ratificaram o Tratado? Vão prosseguir? Ou não?
Se a Irlanda dissesse “Tratado de Lisboa, nunca mais”, as coisas complicar-se-iam para todos, pois, mesmo seguindo as outras ratificações, a União Europeia teria que ir pensando num destino que não incluísse pela primeira vez um dos seus. E, se algum dos outros em falta indicasse já não ir proceder à ratificação, abrir-se-ia um quadro fatal: teriam que abrir-se outras soluções, partir para outro tratado.
O destino do Tratado de Lisboa joga-se nesta reunião cimeira dos chefes de Estado e de Governo, a fechar a presidência eslovena. Havendo calma e prudência, ainda pode haver saída. Com arrogância, precipitação e mais nervos que inspiração, o futuro já terá que ser outro.
Decisivo é os líderes europeus mostrarem escutar não apenas a si mesmos, mas as preocupações reais dos cidadãos. Por muito que isso aborreça muita gente, a verdade é que ninguém na rua está preocupado com o Tratado de Lisboa. O mesmo aconteceu com a falhada Constituição Europeia: jaz morta e enterrada, sem luto popular.
Do que os europeus precisam, agora, das instituições europeias e da Cimeira desta semana é de uma resposta comum, em que possam confiar, diante da gravíssima crise do petróleo, colada à crise dos mercados financeiros e à alta dos preços alimentares. Isso é que preocupa e aí se verá se a União tem liderança e capacidade, ou é nada.
O desencanto irlandês (e doutros) também resultou da flagrante falta de liderança europeia. E, das duas, uma: ou a UE é capaz de se mostrar no que é prioritário e não pode esperar de todo – e o Tratado, a seu tempo, encontrará solução; ou falha onde deve agir – e os cidadãos perceberão cada vez menos para que serve.
O Tratado pode esperar – e o tempo até poderá ser a sua salvação. Mas o que não espera de todo é a crise que anda aí, cresce todos os dias e já exaspera quase todos.

A NOVELA DA TVI

Capítulo 2
Esta Senhora , Margarida Marinho , por sinal excelente actriz, e que aqui já citei , também informou que estava grávida , e num estado de risco , pelo que tinha de , imediatamente terminar as filmagens.
Só que é a actriz principal e não pode "morrer" assim , como eventualmente se poderia fazer à mencionada no Cap. 1 , Margarida Vila Nova ,e por isso a novela irá terminar , ao que parece disse o seu "autor" Tó Zé Martinho.
Ou seja. Uma empresa faz um programa de produção de uma novela , contrata imensos profissionais , gasta pipas de massa , filma em Moçambique , Lisboa e Vila Flor , entusiama os tele-espectadores e , de repente , a actriz (actrizes ) que deveriam tomar as suas precauções , dizem :
Estamos grávidas . Vá tudo para casa. Viva as Margaridas
Será que isto "lá fora" seria possível?

terça-feira, 17 de junho de 2008

A NOVELA DA TVI

Capítulo 1

Esta Senhora , que aceitou o contrato para a novela " A Outra" , passado um tempo veio dizer que "estava gravida".
Que eu saiba a gravidez não é uma doença que se apanhe por aí .
O produtor deve ter ficado aflito e , naturalmente , que teve que mudar muita coisa , que custou muito dinheiro , e frustou os tele-espectadores.

Gostava de saber o que se passou em contrato laboral?

Isto é só uma pergunta. Amanhã segue o capítulo dois desta "novela do blog OC"

John David's Snack Bar

Há já algum tempo, encontrei à porta do John David's Snack Bar, no paredão de Cascais, um painel de publicidade, o qual não resisto a transcrever, com a devida vénia aos proprietários:

Slow Service
Dirty Glasses
Poor Food
Rude Staff
Expensive
English Humor
Try Us
Gostei Muito!

EUROS do SUL , quem os quer?

Notes printed in Berlin have more currency for bank customers who fear a = 'value crisis' Ordinary Germans have begun to reject = euro bank notes with serial numbers from Italy, Spain, Greece and Portugal, raising concerns that public support = for monetary union may be waning in the eurozone's anchor country. = Germany's Handelsblatt newspaper says bankers have detected a curious pattern = where customers are withdrawing cash directly from branches, screening the = notes to determine the origin of issue. They ask for paper from the southern = states to be exchanged for German notes. Each country prints its own notes = according to its economic weight, under strict guidelines from the European = Central Bank in Frankfurt. The German notes have an 'X'' at the start of the serial = numbers, showing that they come from the Bundesdruckerei in Berlin. = Italian notes have an 'S' from the Instituto Poligrafico in Rome, and Spanish notes = have a 'V' from the Fabrica Nacional de Moneda in Madrid. The notes are entirely interchangeable and circulate freely through the eurozone and, indeed, = beyond. People clearly suspect that southern notes may = lose value in a crisis, or if the eurozone breaks apart. This is what = happened in the US in the Jackson era of the 1840s when dollar notes from different = regions traded at different values. 'The scurrilous idea behind this is = that if the eurozone should succumb to growing divergences, then it is best to = cling to most stable countries,' said the Handelsblatt. 'There are no = grounds for panic. The Italian state is not Bear Stearns,' it said. Germans = appear to be responding to a mix of concerns. Many own property in Spain or = Portugal and have become aware of the Iberian housing slump.
Fonte: ASNC

PASSOU O PERIGO


O Homem passa hoje á idade da reforma.
Assim , pessoal , é andar á vontade.

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Conferências na Fundação Calouste Gulbenkian.

Não consegui resistir a transcrever o resumo da conferência. Outro abraço!
AQUECIMENTO GLOBAL: A CAMINHO DA AUTODESTRUIÇÃO OU DA ENGENHARIA CLIMÁTICA PLANETÁRIA

RICARDO AGUIAR

As alterações climáticas provocadas pela Humanidade já não se limitam a fenómenos locais ou regionais como o smog e as chuvas ácidas. Alcançam agora todo o Planeta: redução da camada de ozono estratosférica, aquecimento global, acidificação dos oceanos. Isto parece provar a nossa ignorância e irresponsabilidade face aos complexos equilíbrios ambientais, o que acabará por conduzir à catástrofe esta nossa sociedade global que tem vindo a ser desenhada desde o Renascimento. Parece que as mudanças ambientais já várias vezes tiveram esse efeito na História, desde a Mesopotâmia à Civilização Maia.

Se a degradação da camada de ozono com radiação UV mais intensa se manifesta especialmente em zonas circumpolares ainda bastante remotas, já o aquecimento global atinge a maior parte da população. No Mundo e em Portugal os impactos do aquecimento ainda modesto registado no século XX já são visíveis. Guerras como as do Darfur ou mesmo da Palestina podem ser interpretadas já como guerras ambientais. Ora os impactos que se avizinham são muito maiores – e em parte substancial inevitáveis. Por um lado porque não é possível alterar bruscamente a maneira como a Humanidade usa a energia e os recursos naturais, de maneira a cessar rapidamente a emissão de gases com efeito de estufa. E, por outro lado, porque mesmo que isso fosse exequível já não reconduziria à situação anterior à Revolução Industrial, devido à existência de grandes inércias e à perturbação entretanto já introduzida nos sensíveis equilíbrios dos reservatórios de carbono na Biosfera, Atmosfera e Hidrosfera.

Contudo, outras civilizações da História conseguiram mudar e assim ultrapassar crises ambientais, como o povo Chumash da Califórnia. A nossa própria sociedade já mostrou alguma eficácia, ao conseguir conter e, cremos, reverter a degradação da camada de ozono. Podemos ver isso como um primeiro êxito de engenharia climática planetária. O aquecimento global é um desafio mais sério, pois envolve mais actores, toca em controversas questões de equidade internacional e exige uma mais aguda consciência da responsabilidade de cada geração com as seguintes. Em todo o caso as abordagens de ataque ao problema concorrem com outros objectivos identificados como necessários à sustentabilidade, desde a conservação da biodiversidade à segurança do abastecimento energético, da redução da poluição ao desenvolvimento humano justo. Melhoria de comportamentos, de regulamentos e de tecnologia formam um triângulo virtuoso que permite ter esperança no sucesso.

Estamos realmente nas fronteiras da Ciência quando para fundamentar e tornar operacional no concreto a mitigação das alterações climáticas necessitamos perspectivar o que irá suceder – através da prospectiva quantitativa, que recorre à complexa modelação de milhares de aspectos do futuro, do Clima à Sociedade e à Tecnologia. E é mesmo tentar ultrapassar os limites ao considerar que algumas das ambiciosas soluções técnicas que vamos adoptar, como o sequestro de carbono em formações geológicas, poderão um dia servir-nos para estabilizar o Clima face às flutuações cíclicas da actividade solar e às variações astronómicas lentas da órbita da Terra. Ou mesmo ensinar-nos algo sobre como “terraformar” a atmosfera dos planetas Marte e Vénus!

18 de Junho de 2008

Conferências na Fundação Calouste Gulbenkian

Acabei de receber esta mensagem electrónica e, como habitualmente, toca a divulgar o seu conteúdo. Lamento não saber como anexar os textos aqui referidos.
Tenciono estar presente!
"AGRADECEMOS A DIVULGAÇÃO DESTE EMAIL
Exmo(a). Senhor(a),

O Serviço de Ciência da Fundação Calouste Gulbenkian, em colaboração com a Ciência Viva, realiza no Auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian (Av. de Berna, 45 A) a conferência – AQUECIMENTO GLOBAL: A CAMINHO DA AUTODESTRUIÇÃO OU DA ENGENHARIA CLIMÁTICA PLANETÁRIA – que terá lugar no dia 18 de Junho, às 18h00, e será proferida pelo Prof. Doutor Ricardo Aguiar, do INETI – Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação. Teria muito gosto em que estivesse presente nesta iniciativa.

Poderá também assistir em directo através do site: http://live.fccn.pt/fcg/ e enviar as suas questões (fronteiradaciencia@gulbenkian.pt) que o orador responderá no final da sessão. Outras informações relativas a esta iniciativa estão disponíveis no site
www.gulbenkian.pt/fronteiradaciencia .

Junto tenho o gosto de enviar o texto introdutório do Prof. João Caraça, Director do Serviço de Ciência, bem como o currículo do Prof. Doutor Ricardo Aguiar e o resumo da conferência.

Com os melhores cumprimentos.
Rita Rebelo de Andrade
Serviço de Ciência
E. - randrade@gulbenkian.pt
T. (00351) 21782 3525 /F. (00351) 21782 3019"
Um abraço,

ELEIÇOES


Dia 24 de Julho (o da Avenida) no Entroncamento.
Listas deverão dar entrada até 21 de Junho (o maior do ano).
Quem avança?
O nosso Almirante Medeiros Alves era um grande nome.

Marte

(Para ampliar, "clicar" na imagem)

Extraordinária visão da sonda Phoenix, chegada a Marte há cerca de três semanas, recolhendo amostras do solo para análise. Um espanto!

domingo, 15 de junho de 2008

BEWUNDERNSWERTE

Admirável

A inteligencia de Scollari ao fazer repousar uma equipa e um conjunto....que é raro jogar
A estratégia de Scollari para convencer os alemães que a nossa futura equipa é esta...ou então , ainda mais esperto , para camuflar as nossas estrelas.
A diplomacia de Portugal em se deixar vencer pelo hospitaleiro anfitrião
Madaíl em grande , para arranjar o tal tacho na UEFA , que espera faz tanto tempo

Edificante diplomacia

Para ficar a par das últimas relativas à Guiné-Bissau e da nossa representação diplomática, queiram clicar em http://www.ditaduradoconsenso.blogspot.com/ . É lindo.