sábado, 24 de maio de 2008

G.P. de Mónaco


Amanhã há Grande Prémio de Mónaco, com Felipe Massa na pole position.

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Ser Engenheiro

Há um tempo atrás, um colega de profissão (engenheiros!) confidenciou-me as razões da sua tristeza por estar convencido que a nossa profissão se assemelha àquela que é conhecida como a “Profissão mais Antiga do Mundo”. São as seguintes as razões invocadas:

Trabalhamos a horas estranhas! Como elas ...!

Pagam-nos para fazer felizes os clientes! Como a elas ...!

O cliente paga muito mais, mas o nosso patrão fica com a massa quase toda! Como com elas ...!

Cobramos à hora, mas o nosso tempo de trabalho prolonga-se até o trabalho estar terminado! Como com elas ...!

Se somos bons, nunca estamos orgulhosos com o que fazemos! Como elas ...!

Recompensam-nos por satisfazer as fantasias dos nossos clientes! Como a elas ...!

É-nos muito difícil ter e manter a família! Como a elas ...!

Quando nos perguntam em que é que trabalhamos, não o podemos explicar! Como elas ...!

O cliente paga a nossa conta de hotel e as horas trabalhadas! Como a elas ...!

O nosso patrão tem um carro de luxo! Como os delas ...!

Quando vamos prestar “assistência” ao cliente, vamos todos contentes! Como elas ...!

Mas quando regressamos, parece que saímos do Inferno! Como elas ...!

Avaliam a nossa “capacidade” com provas horríveis! Como a elas ...!

O cliente cada vez quer pagar menos e espera que façamos maravilhas! Como elas ...!

Todos os dias, ao levantar da cama, dizemos: “Não vou fazer isto durante toda a minha vida”! Como elas ...!

Sem conhecer nada do seu problema, o cliente espera que satisfaçamos todas as suas necessidades! Como elas ...!

Se as coisas correm mal, a culpa é sempre nossa! Como é delas ...!

Temos que fazer serviços gratuitos ao nosso patrão, à sua família e aos seus amigos! Como elas ...!


Que raio de vida! Será que quero continuar a ser engenheiro?

Bloqueio à Galp

Nem com esta menina eu vou abastecer na Galp

Processo disciplinar

O processo disciplinar levantado pelo General CEMFA ao nosso camarada e meu particular amigo Cor. REF Alves de Fraga (já aqui referido pelas "Ondas" publicadas em 30.3.08 e 1.4.08 respectivamente pelos "OCeanos" LSN e JNB) foi arquivado, segundo notícia publicada no DN de hoje.
Maior desenvolvimento pode ser lido pelos mais curiosos no blogue "Fio de Prumo", da autoria daquele camarada, com acesso a partir deste nosso.

quarta-feira, 21 de maio de 2008

BRAVO ZULU

Excelente entrevista do Almirante CEMA no "Correio da Manhã" de hoje.
Tanto mais que este jornal , ou pelo menos funcionários seus , têm , nos ultimos tempos , manifestado um ódio visceral ás Forças Armadas e aos militares. Caso patológico , direi mesmo.

Pode ser que quem saiba trabalhar com este blog consiga colocar aqui a entrevista completa.


Nota (de quem dá uns toques no blogue): podem ler a entrevista completa se "clicarem" aqui.

Poupança de Combustível

Do blog "O Jumento"

terça-feira, 20 de maio de 2008

O Poder e o Saber

Deve ser um grande problema para um ministro chegar de novo a um ministério e não encontrar nada para mudar. Como é que vai mostrar serviço? A área militar do MDN está em mudança há longos anos, tendo sido publicada uma série de diplomas estruturantes mesmo antes deste governo entrar em funções. O que faltava então? A chamada estrutura superior das Forças Armadas e o próprio MDN. Jornalistas e comentadores profissionais dizem que há muitas duplicações de funções entre o ministério e EMGFA (nunca disseram quais!) e que devia haver por cá um comando operacional conjunto, como estava na moda e havia noutros países. Vai daí e sai uma Resolução de Conselho de Ministros que abriu caminho a projectos organizativos para as Forças Armadas, no mínimo bizarros, que, como é público, resultaram na divisão profunda entre os chefes militares, por um lado, e o ministro e CEMGFA por outro. Estamos, assim, a assistir a um choque entre um grupo de chefes militares com experiência de comando aos mais variados níveis, que sabem o que são relações de comando, que sabem o que é um comando operacional e como funciona, e um outro com uma perspectiva e uma lógica que não tem a ver com isto. Faz-se a costumada confusão entre modalidades de comando e níveis de comando. Querem dar comando completo ao CEMGFA para este mandar no navio, no avião e no pelotão, ou seja, devia ser comandante de nível estratégico mas querem que seja comandante operacional de tudo quanto mexe no interior e no exterior do país. Entra na micro-gestão. Porquê? Não terá mais que fazer, agora que até lhe dão mais responsabilidades administrativas? Que sentido faz as unidades serem mandadas para missão por uma ordem emanada de um "comando operacional conjunto" guarnecido por uma massa anónima de oficiais indiferenciados, física e mentalmente longe das unidades e dos problemas? A ir para a frente esta solução, quem pagará pela perda de operacionalidade das forças e pela perda de eficiência e eficácia das missões?

COISAS BOAS

O seminário da associação Coração Amarelo sobre " A violência na Velhice".

Impressionante o que se abusa da doença , da debilidade , da solidão , do desespero.


O que se faz por aí , á vontade , e sem castigo.


Impressionante.

VISITA

De 23 a 26 de Maio estará no Tejo o SNMG1 (Standing NATO maritime group one , vindo creio , que de Hamburgo.
É comandado pelo navio espanhol Don Blas de Lezo (o grande Almirante) c trás a "Vasco da Gama", o "Luebeck" e o "USS Nichols".
Quem quizer vá ver. Pode ser que os DRS Judice e Cadilhe também vão , para se certificarem que os navios de guerra não servem para nada.

Contadores

Foi em princípios de Março que dei aqui conta de uma medida que me pareceu boa: o Diário da República publicava um decreto-lei, para entrar em vigor em 26 de Maio, que proíbia a cobrança “de qualquer importância a título de preço, aluguer, amortização ou inspecção periódica de contadores ou outros instrumentos de medição dos serviços utilizados”. Era igualmente proíbida a cobrança de “qualquer outra taxa de efeito equivalente” e de “qualquer taxa que não tenha uma correspondência directa com encargo em que a entidade prestadora do serviço efectivamente incorra, com excepção da contribuição para o audiovisual”.
Dizia eu também que se esperavam vários contorcionismos e saltos mortais sobre esta matéria.
Pois eles aí estão! A Associação Nacional de Municípios, queixando-se da perda de receitas por esta via, anunciou que vai cobrar uma taxa de disponibilidade e defende que o Governo criou "falsas expectativas" aos consumidores com a aprovação de uma lei que considera ser "demagógica".
Pelo seu lado o Secretário de Estado do Comércio (Fernando Serrasqueiro) diz que a nova taxa é ilegal e aconselha os consumidores a reclamarem e recorrerem aos tribunais.
Está, mais uma vez, lançado o granel ... adivinhem lá quem é que, no meio disto tudo, vai continuar a pagar. É o mexilhão, claro!!!

Dia da Marinha


Hoje é dia da Marinha. As celebrações são ao longo da semana no Funchal.

segunda-feira, 19 de maio de 2008

SUB´s



1-Ainda ontem , enquanto o futebol escaldava , saía a barra um submarino .
Mas sempre ouvi dizer que para se ter navios destes , era necessário um mínimo de 3 unidades.
Lá conseguimos que alguém percebesse que precisamos de submarinos e então , mais sabedores e geniosos , os políticos encomendaram 2 . O Arpão e o Tridente (subpão e subdente , como com tanta graça aqui comentou o JNB ).

2-Mas agora dizem que só darão 1 . Será o pão ou será o dente?
E ter 1 , significa ter 0 , daqui a muito pouco tempo. Nunca se viu alguém ter " O submarino".

Bota Abaixo em Espanha


Chama-se Juan Carlos I e foi lançado à água em 10 de Março no Ferrol o chamado navio de projecção estratégica, que é um grande LPD com tendência para porta-aeronaves. Tem 27.000 toneladas e 230m de comprimento; a propulsão é um misto de turbinas a gás e de motores diesel-eléctricos com pods azimutais, quer dizer, os motores diesel alimentam motores eléctricos dentro dos pods onde montam os hélices (dispensa o leme). Pode transportar uma força de desembarque de 900 hmens totalmente equipados, tem quatro lanchas de desembarque e pode levar oito aviões VSTOL ou um número variável de helicópteros. A construção começou em Maio de 2005. E por cá, alguém se lembra do último bota-abaixo de um navio?

domingo, 18 de maio de 2008

É PRECISO TER LATA



Este cavalheiro ( a quem chamam professor ?????) é que teve a culpa, quase exclusiva. da derrota do FC Porto na final da taça de Portugal.

E , que se saiba , é o líder do grupo de trabalho , como se diz agora.
Ora um líder , quando culpado ou incapaz , só lhe resta confessar e pedir desculpa.
Não é culpar os outros ou chutar para canto.
Tarde para esquecer. Parabens aos "Leões"