sábado, 18 de agosto de 2007

PERU

Nunca percebi bem a razão deste nome para o País andino , e penso que pouca gente o saberá.

Mas em questões de abalos sismicos teem azar.

Pisco (também nome da bebida nacional) e Ica já lá vão. Mas não ouço falar no que teria acontecido na Pan-Americana.
Foi dramático o abalo.

Poderá ser que Llosa se inspira e crie mais uma obra prima , que nos vá lembrando a história , fantastica , deste povo.
Para já podem ler o seu último romance "travessuras da menina má" , na D.Quixote , superiormente traduzido pelo nosso Oceano e Amigo Conde de Aguilar. Belo e giro livro para férias.

Pensamento do dia - Regime rosa

De Paulo Paixão, num pequeno texto em "A semana que passa" (Expresso, 18Ago):
"Regime rosa O Estado pode agora despejar inquilinos sem recurso aos tribunais. E apenas por um triz (pelo menos para já) não quebra automaticamente o sigilo bancário dos contribuintes inconformados. Há um Estado que nos direitos sociais (saúde, educação), em nome da ideologia do "menos Estado", alija responsabilidades. Com alarde, envia os cidadãos para as mãos dos privados. "O mercado que regule!" é o lema. Mas há outro Estado. Em direitos individuais, de modo musculado e pela calada, torna-se "mais Estado", tentacular, e esmifra os direitos dos cidadãos."

Mais outra

Estando eu no remanso destas terras algarvias de sotavento, os meus ouvidos começaram a ser bombardeados nos noticiários radiofónicos e televisivos com uns handlings para aqui, handlings para ali, numa Groundforce qualquer, a propósito de uma greve desencadeada este fim de semana por alguns trabalhadores nos aeroportos portugueses.

Lá vem este chato novamente, dirão os pacientes leitores destes escritos. Pois terão muita razão mas... continuo.

Das duas uma: ou a língua portuguesa é de uma pobreza confrangedoura que não consegue expressar em termos seus a actividade dos tais trabalhadores ou, o que é mais provável, os noticiaristas em questão estão a prestar-lhe um péssimo serviço, quando deveriam ser um dos baluartes da sua defesa.

Bom, há uma terceira hipótese que quase me ia recusando a referir, mas que, por uma questão de honestidade mental o tenho de fazer: o prazo de validade de quem persiste em reparar nestas coisas.

Tenham umas boas férias.

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Bom dia OC!

No dia 17 de Agosto de 1962, quatro dias depois do primeiro aniversário do início da sua construção, o Muro de Berlim teve a sua primeira vítima mortal.
Vítima de um muro que procurava barrar os caminhos da liberdade e de uma ordem que mandava atirar a matar sobre quem tentasse ultrapassar essa barreira, Peter Fechter, um pedreiro com pouco mais de 18 anos, foi abatido quando teve a ousadia de procurar a liberdade.

quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Rodrigues Leite




Assinalando o dia do teu aniversário, aqui fica um abraço de parabéns, com votos de que resolvas comparecer aos almoços das terças e que não tardes a “apresentares-te” no blogue do OC.
Que o dia se repita por muitos e bons.

Bom dia OC!

Eça de Queirós morreu em Neuilly-sur-Seine, com 54 anos, no dia 16 de Agosto de 1900.
Natural da Póvoa do Varzim, onde nasceu na Praça do Almada em 25 de Novembro de 1845, José Maria de Eça de Queiroz, era filho natural de José Maria de Almeida Teixeira de Queiroz, então delegado do procurador régio em Ponte de Lima, e de Carolina Augusta Pereira de Eça.
Registado como filho de mãe incógnita, viveu os primeiros anos em Vila do Conde, entregue aos cuidados de uma ama, e depois na casa dos avós paternos em Verdemilho, perto de Aveiro. Apesar dos pais se terem casado quatro anos depois do seu nascimento, só aos dez anos é que vai para sua casa no Porto, onde começa a estudar no colégio de Nossa Sr.ª da Lapa, dirigido por Joaquim da Costa Ramalho, pai de Ramalho Ortigão.
Em 1866 licencia-se em Direito na Universidade de Coimbra e vai para Lisboa onde tenta exercer advocacia, embora com pouco sucesso. Muda-se no final desse ano para Évora para fundar e dirigir o jornal Distrito de Évora, mas regressa no ano seguinte a Lisboa. Em 1870 publica no Diário de Notícias o relato de uma viagem que fez ao Egipto, a que deu o título “De Port-Said a Suez”. Nesse ano e também no Diário de Notícias publica em conjunto com Ramalho Ortigão “O Mistério da Estrada de Sintra”, colaboração que prossegue em 1871 com o início da publicação de “As Farpas”.
Eça inicia a carreira diplomática em 1872 como cônsul de 1ª classe nas Antilhas espanholas, residindo em Havana. Regressa à Europa em 1874, indo como cônsul para Newcastle-on-Tyne, no norte de Inglaterra, onde escreve ”O Crime do Padre Amaro”, que é publicado em capítulos na Revista Ocidental. Segue-se “O Primo Basílio” em 1878 e dois anos depois, já como cônsul em Bristol, escreve “O Mandarim”. Seguiram-se alguns anos em que se dedica a rever as obras que tinha anteriormente escrito, publicando depois “A Relíquia” em 1887 e “Os Maias” em 1888, ano em que vai para o consulado de Paris, onde passa o resto da sua vida.

terça-feira, 14 de agosto de 2007

Disciplina Militar

Foi publicada ontem no D.R. a lei nº 34/2007 que establece o regime especial dos processos relativos a actos administrativos de aplicação de sanções disciplinares previstas no R.D.M. Isto tem a ver com as providências cautelares que procuram suspender a eficácia das punições disciplinares. Basicamente diz que quando for requerida a suspensão de acto administrativo ao abrigo do R.D.M. não há lugar a proibição automática do acto, com três excepções que têm a ver com ilegalidade evidente ou aplicação de normas já anuladas. Diz ainda que compete à secção de contencioso administrativo de cada tribunal central administrativo conhecer, em primeira instância, dos processos relativos a actos administrativos de aplicação de sanções disciplinares de detenção ou mais gravosas. Ou seja, os processos que derem direito a detenção ou prisão disciplinar seguem todos para um tribunal administrativo onde um desses juizitos vai apreciar da justeza do processo!
Será que o nosso Paiva pode comentar o que aqui digo?

Pensamento do dia - O fosso

De Eva Gaspar, colunista do Jornal de Negócios, no seu artigo (14Ago) "Portugal agrava fosso entre ricos e pobres para o pior nível europeu":

"Contrariando a tendência europeia, Portugal é hoje não apenas o "campeão", mas também o Estado-membro da União Europeia onde as disparidades de rendimento mais se acentuaram nos últimos anos."

Bom dia OC!

No dia 14 de Agosto de 1941 foi divulgada a declaração conjunta de Churchill e de Roosevelt que ficou conhecida como “Carta do Atlântico”.
Resultou de dois dias de negociações secretas levadas a cabo nos USS “Augusta” e HMS “Prince of Wales” fundeados na Baía de Placentia, na Terra Nova. Para além do acordo sobre o reforço da cooperação militar tendo em vista a derrota do “eixo”, a “Carta do Atlântico” estabeleceu os princípios de uma nova ordem mundial no pós Segunda Guerra. Foi o primeiro acto de um processo que deu origem, quatro anos depois, à Organização das Nações Unidas.

segunda-feira, 13 de agosto de 2007

RTP.......

Abertura do Telejornal das 2000 horas , em Lisboa , País europeu e , ao que se julga , civilizado:


"Terramoto de grau 5 com epicentro em Espanha. Não houve nenhum dano para pessoas (e animais, digo eu) , nem danos materiais , nenhum. nem ninguém sentiu."

Seguiu-se uma reportagem na Expo , aos transeuntes que passavam , a perguntar se sentiram!!!

Todos desconfiaram que estavam "nos apanhados""

Mas que grandes jornalistas nós temos.....

OBRIGATÓRIO

" Foi assim" da Camarada Zita.

É obrigatório ler , sublinhar e lembrar o passado recente.
Como é possível !!!!!

Vá lá que escapámos de boa......

Mas eles ainda andam por aí , como se nada se tivesse passado.....

domingo, 12 de agosto de 2007

A frase

O presidente Bush, quando perguntado por um jornalista se era capaz de dizer alguma coisa em francês ao presidente Sarkozy, disse:
" No I can't. I can barely speak English" !

Nova ponte


Curiosa imagem da passagem do tramo central de uma nova ponte que está a ser construida no Grande Canal de Veneza, por baixo da Ponte de Rialto, que foi a única até 1854. Esta é projecto de Santiago Calatrava.

Pensamento do dia - Poder Naval

De Miguel Monjardino, colunista do Expresso, no seu último artigo (11Ago) que intitula de " O colapso do poder naval europeu":
" O poder naval e tudo o que o rodeia desapareceu completamente das páginas dos nossos jornais, revistas, rádios e televisões. No resto da Europa passa-se exactamente o mesmo. ... Na Ásia, o poder naval é considerado indispensável. Os governos dos países europeus parecem ter chegado silenciosamente à conclusão oposta."

Amaral Pereira



A tua presença não tem sido famosa nos almoços das terças e quanto ao blogue estamos conversados.
Vê se apareces mais.
Isso não invalida que neste dia aqui sejas recordado com um abraço de parabéns e votos de muitas repetições.