sábado, 23 de junho de 2007

Bom dia OC!

Hoje é “Dia Olímpico”, comemorando a criação do Comité Olímpico Internacional no dia 23 de Junho de 1894, por iniciativa de Pierre de Coubertin.
Assim, neste “Dia Olímpico”, espero e desejo aos OCeanos que preparam afincadamente no “paredão” a futura participação nas olimpíadas, que não tenham, nem voltem a ter, mais entupimentos do dito. Até para não poderem inventar desculpas de que foi por causa da manutenção do piso, ou até da Super Bock, que não se qualificaram para os Jogos Olímpicos…

sexta-feira, 22 de junho de 2007

Mais um apoio

Outra promessa, desta vez na Praia da Duquesa. Está visto que em cartazes a Câmara de Cascais não é avarenta.

E por falar nesta praia ... já se podem lá ver alguns actores dos próximos Mundiais de Vela que terão lugar em Cascais, de 28 de Junho a 13 de Julho. Serão mais de 1000 embarcações e 1500 velejadores de 76 países. Apareçam!

Almeida Viegas

Foi hoje recebida a seguinte mensagem (e-mail):

"Embora com algum atraso, cumpri a obrigação (afinal, embora RN também sou OC) de dar a conhecer ao Zé Viegas os posts e comentários publicados no blogue por ocasião do seu aniversário.
Notei que, para além de contente, também ficou algo comovido.
Um abraço para todos

Salgado Soares
"

Agradeço ao António Salgado Soares ( salgadosoares@gmail.com ) o contacto com o Zé Viegas. Um abraço para ambos.

S. João


Para aguçar o dente dos nossos OCeanos tripeiros na preparação das vésperas do santo da sua devoção, aqui vão estas fotos da "Invicta", acabadinhas de tirar.

(picar nas fotos para as aumentar)







Sir Charles Napier

Depois dos nacos fabulosos que o JNB nos deu aqui fica o retrato de Sir Charles

COISAS BOAS

Fui visitar o Pavilhão do Conhecimento.
Nunca tinha ido (vergonha!!!!!!!!!!!!!)
Mas há sempre uma vez.
Fabuloso.

Só me esqueci de levar o meu neto

Almirante Charles Napier - Final

Para acabar com uma nota positiva:
« Pelas 5 horas entrámos na Aldeia da Cruz, pequena vila situada numa baixa, a tiro de espingarda de Ourém, que é uma antiga cidade mourisca, edificada sobre um alto monte, e por toda a parte de dificultoso acesso. Quando as tropas iam avançando e tomavam os seus acantonamentos, o inimigo abriu fogo com as suas peças de campanha. Os marinheiros e soldados de marinha que se achavam na retaguarda, julgaram o ataque principiado, e ainda que exaustos por uma marcha de sete léguas e não muito bem calçados, fiquei admirado de os ver correr para a frente a marche marche, com receio de chegarem já tarde. Em Aldeia da Cruz reuniram-se os escoceses do coronel Shaw e o batalhão móvel de Alcobaça, não fardado mas bem equipado; e é para admirar, não obstante aquela desvantagem, a bela aparência militar que eles apresentavam. Estou persuadido de que homens alguns no mundo se fazem soldados nem tão depressa, nem tão facilmente como os portugueses, são sóbrios e tratáveis, e têm certo orgulho com a sua profissão.»

Bom dia OC!…

… ou, dizendo melhor, “re-bom dia”, já que ontem foi dia de cocha OCeânica.
Hoje, embora ainda não tenha chegado o S. João, o pessoal “tripeiro” tem direito a lançar foguetes para comemorar a inauguração da ponte da Arrábida no dia 22 de Junho de 1963. E até está autorizado a redobrar os foguetes, já que nessa altura, a ponte da Arrábida, projectada pelo Eng. Edgar Cardoso, foi recordista mundial dos arcos de betão armado, graças ao seu arrojado vão de 270 m.
Tenham então um muito bom dia e vejam lá se fazem ondas…
Foto de Dias dos Reis 

quinta-feira, 21 de junho de 2007

Bom dia OC!

Foi apenas há três anos, mas merece ser aqui evocado o voo do SpaceShipOne no dia 21 de Junho de 2004, no qual ultrapassou os 100 km de altitude, mínimo para ser considerado um voo espacial.
Foi o primeiro voo espacial tripulado numa nave desenvolvida e operada por uma empresa privada mas, não é só este facto que o torna uma efeméride digna de registo, pois o SpaceShipOne está repleto de inovações tecnológicas, desde o seu propulsor até à concepção das asas, para além dos materiais utilizados na sua construção, inovações que certamente irão contribuir para o futuro desenvolvimento de veículos espaciais.
O SpaceShipOne já passou à reforma, encontrando-se no “National Air and Space Museum” da Smithsonian Institution. É um local que merece pois, para além do primeiro voo espacial feito com fundos privados, também foi a primeira aeronave privada que ultrapassou a velocidade de Mach 3 e a primeira nave reutilizável a fazer dois voos espaciais num intervalo de tempo inferior a uma semana (em 29/09/2004 e 04/10/2004).

quarta-feira, 20 de junho de 2007

Erro de Casting - Eleições Câmara de Lisboa (SIC Noticias)

Sem palavras!!!

A OTA - Uma Lição de Economia

("Clicar" para ampliar a imagem)
Não resisto a, embora com algum atraso, reproduzir a brilhante lição de economia de Miguel Cadilhe, no apontamento acima, retirado da revista Expresso, caderno de Economia, do passado dia 16.
Porque é que é tão dificil, para os políticos, apreender ideias tão simples? Raça Pestilenta?

Bom dia OC!

Jacques Offenbach nasceu em Colónia, no dia 20 de Junho de 1819.
Começou a estudar música com o seu pai e aos 12 anos já era um exímio violoncelista. Em 1833 foi para o Conservatório de Paris para prosseguir os estudos de violoncelo e, logo no ano seguinte, entrou para a orquestra da Ópera Cómica. Assumiu o cargo de director musical da Comédie-Française em 1850 e cinco anos depois criou o seu próprio teatro – Les Bouffes‑Parisiens – para poder levar à cena as suas obras.
Como compositor, Offenbach deixou-nos diversas operetas, género de que foi um dos precursores, entre as quais o “Orfeu no Inferno” (cujo «Galope infernal» é o mais do que conhecido Cancan), “A Bela Helena”, “A Vida Parisiense” ou “A Grã-Duquesa de Gérolstein”. A última obra de Jacques Offenbach foi uma ópera, “Os Contos de Hoffmann”, que foi estreada já depois da sua morte, aos 61 anos, em Paris, no dia 5 de Outubro de 1880.
Para levantar o vosso ânimo não vos deixo a bela Helena, mas sim a (nada má) Anne Sophie von Otter a cantar a ária «Ah, que j’aime les militaires» da opereta “A Grã-Duquesa de Gérolstein”.
E tenham um bom dia!

O ÚLTIMO DOS CANDIDATOS



Este Cidadão, embora não alfacinha, também quer ser candidato à CML, e esteve hoje à noite, dizem, nas portas do museu da EDP, a exigir entrar no debate da SIC.

Devemos ser 13, carago, diz o candidato a candidato, para dar azar.

terça-feira, 19 de junho de 2007

Predicados dos políticos

Ao percorrer as ruas de Lisboa fiquei algo espantado ao ver a propaganda eleitoral para a Camara desta cidade. Vendo os cartazes dos vários canditados são indicadas especiais qualidades dos ditos. E fui lendo. Um é o "Rigor" , outro a "Competência", outro "a Sério"! E eu que julgava que estas qualidades eram básicas para que qualquer cidadão pensasse em desempenhar uma função em prol da comunidade. Mas não. Pelos vistos são predicados que até têm de ser enaltecidos! Será isto uma crise?

Defesa Nacional e Forças Armadas

Acabou de produzir o “OCeano” João Pires Neves, ao longo de quase 5 meses, uma ondulação enorme, de mais de duas dezenas de ondas, dedicada à Defesa Nacional e Forças Armadas.
Esta adjectivação é perfeitamente aplicável já que, embora aqui não publicadas dado o seu tamanho e especificidade, aqui foram a par e passo referenciadas pelo LSN.
Quem teve o interesse de acompanhar esses escritos, poude fazê-lo a partir deste nosso blog.
Não pretendendo fazer uma intervenção crítica sobre o trabalho, porque para tal me falta a arte; deixo essa tarefa para os especialistas. Mas não quero deixar de expressar no entanto o meu apreço pela realização de tal trabalho, tão denso como profundo.
O assunto tratado é complexo e presta-se a polémica fácil, face a reais posições distintas sobre ele que podem atingir o oposto. Por tal, é exigida coragem intelectual a quem o abordar com isenção e honestidade intelectual, como o fez o autor, para além do necessário saber e muito trabalho.
Por tudo isso, o meu abraço ao JPN, de parabéns pelo trabalho realizado e de incentivo para, após algum período de descanso (se necessário) retomar este tipo de produção que, mesmo sem contar para o PIB, é deveras importante.

Almirante Charles Napier (7)

«Já mencionei que na secretaria do ministro da marinha que é reunida com a das colónias haviam uns vinte ou trinta empregados. Nos tempos antigos, o major-general estava tão completemente sujeito ao ministro que, para conservar o emprego, era obrigado a submeter-se a qualquer coisa que aquele ou os seus empregados julgassem a propósito, e como nenhum ministro entendeu jamais de assuntos navais, facilmente se pode ajuizar do deplorável estado em que tinha caido a repartição naval. As finanças em Portugal tinham por muito tempo permanecido sem ordem alguma; e quando o governo se achava apertado de dinheiro, a repartição naval era sempre a primeira que padecia. Não se podiam obter fornecimentos que não fossem de má qualidade, e por preços exorbitantes,pois era perfeitamente uma lotaria saber quando os fornecimentos seriam pagos. Eles faziam os seus cálculos e carregavam os preços em conformidade com eles, e aqueles que tinham mais relações com o ministro da marinha, ou que provavelmente sabiam como dirigir um pequeno presente ao lugar próprio, eram os primeiros a quem se pagava. Eu não podia consentir que semelhante estado de coisas continuasse, e o ministro e a sua gente,depressa acharam que eu era a pessoa mais imprópria para estar à testa da repartição naval; mas a guerra ainda não estava finalizada e era necessário proceder com cautela e principiar por ir gradualmente desgostando-me, o que é sempre a moda portuguesa.»

Bom dia OC!…

… e depois de ter lido a anterior “onda” do Manel, só vos posso desejar que tenham um dia bem longe do Hospital.
Aproveitem e vão até Cascais ver os preparativos para o Campeonato do Mundo de Vela

O HOSPITAL DA MARINHA É NOSSO?


Consulta de oftalmologia.
Marcada vai para mês e meio , para hoje ás 1030 AM.
Na hora exacta apresentei-me.
Foram chegando mais pessoas , até que me chamam para ser atendido por uma auxiliar , que me examina os olhos , faz duas perguntas e me manda esperar mais , para ir ao Dr.
Às 1220 AM , já exasperado , mas muito educadamente , agradeço o favor que me fizeram e declaro que me vou embora , nomeadamente porque me foram passando à frente várias pessoas , normalmente já conhecidas do pessoal.
Depois de me darem explicações , ou melhor , tentarem explicar o inexplicável , pois estavam sentados nos gabinetes em observação pessoas que estavam marcadas para depois da minha hora e chegaram depois de mim , lá veio uma Dra que muito simpáticamente se ofereceu para me atender de imediato.
Preciso de um exame que se faz lá. Foi marcado para daqui a 1 mês e 5 dias!!!!!!!!!!!!!!!!


É esta a nossa casa , ou é uma sucursal do Desterro?

ELE HÁ CADA SURPRESA!!!

Fui ouvir o Prof. Doutor A. Garcia Pereira , esta noite.
Fiquei banzado!!!!
É que subscrevo tudo o que ele disse , em relação a Lisboa.
Será que estou virando Maoísta?

segunda-feira, 18 de junho de 2007

DEFESA NACIONAL (Conclusão)

Chega hoje ao fim a série de artigos do João Pires Neves sobre a Defesa Nacional e as Forças Armadas. Este trabalho de grande fôlego, que tem sido publicado no Jornal Defesa e Relações Internacionais, analisa em detalhe vários aspectos desta complexa e actual temática, tornando-se local de visita e estudo obrigatórios para todos aqueles que a ela se referem e emitem considerações, tantas vezes estribadas em mal-entendidos e incorrecções.
Dando a palavra ao autor:
"O ambiente em que as Forças Armadas se inserem será sempre um ambiente demasiado complexo para ser encarado de uma forma simplista e redutora, erro em que se incorre, por vezes. Fazê-lo de uma forma ligeira e superficial, será sempre demagogia pura, situação particularmente grave, quando os autores de tais afirmações são pessoas de alta cultura e formação, com assinaladas responsabilidades e ocupando posições de relevo na sociedade portuguesa."
O título do derradeiro artigo é: "De como Opinar com Credibilidade acerca das Forças Armadas. Considerações finais" e pode ser lido, na sua versão integral, seguindo esta ligação.
Daqui envio um abraço ao JPN, incentivando-o a prosseguir o seu trabalho, nem sempre fácil, com o rigor e a pertinência a que já nos habituou.

Santos Gomes

Outro totalista das ausências aos almoços e no blog.
O Porto não fica assim tão longe, mas pode justificar as primeiras. Quanto às segundas, é só fazeres um esforçozinho para te juntares à malta.
Bom, o dia de hoje não é para recriminações mas sim para te deixar aqui um abraço de parabéns, com votos de que o possa fazer por muitas e muitas outras vezes.

Bom dia OC!

No dia 18 de Junho de 1815, Napoleão Bonaparte sofreu nos campos de Waterloo a sua derradeira derrota, caindo por terra as esperanças de ressuscitar o Império, que acalentava desde a fuga de Elba e o regresso triunfal a Paris na primeira quinzena de Março desse ano.
As forças comandadas por Arthur Wellesley, Duque de Wellington, vencedor da Guerra Peninsular, reforçadas pelo exército prussiano comandado pelo General Gebhard von Blücher, acabaram para sempre com as veleidades napoleónicas. Não lhe restou mais do que a rendição no dia 15 de Julho de 1815, a bordo do HMS “Bellerophon” fundeado no porto francês de Rochefort, e o desterro em Sta. Helena, onde chegou três meses depois.

Bush in Albania: Kosova Independent.


Inclui uma pérola do discurso Bushiano

domingo, 17 de junho de 2007

Atracção turistica



Um encalhe como tantos outros, que está a ser uma atracção turistica na Austrália. O temporal foi fortíssimo e o capitão decidiu aguentar fundeado. Garrou; tramou-se! Agora é tirá-lo de lá.

Bom dia OC!

Em 17 de Junho de 1922, passam hoje 85 anos, Gago Coutinho e Sacadura Cabral chegaram ao Rio de Janeiro no hidroavião “Santa Cruz”, destino final da viagem que tinham iniciado em Lisboa no dia 30 de Março.
Embora a fragilidade dos hidroaviões utilizados os obrigasse a deixar pelo caminho o “Lusitânia” e o “Portugal”, esta atribulada primeira travessia aérea do Atlântico Sul, em que estiveram muito perto de perder a vida, teve o mérito de comprovar a eficácia e o valor dos processos desenvolvidos por Gago Coutinho para a navegação aérea, assim como o bom desempenho do «sextante de bolha» por ele inventado e do «corrector de abatimento» concebido em parceria com Sacadura Cabral.

Trigo Allen


Apesar das ausências aos últimos almoços, não te livras facilmente das ondas “Oceânicas”.
Aqui fica um abraço de parabéns pelo dia de hoje, com votos de muitos e bons outros.