sábado, 2 de junho de 2007

Promover a Democracia, Desenvolver a Cidadania, Incentivar a Liberdade

(Para ampliar, “clicar” na imagem)

Peço vénia ao autor, o filósofo José Gil, e ao editor da revista Visão, para reproduzir este magnífico ensaio, publicado no número da revista de 31 de Maio, com o objectivo de nos questionarmos, nós que somos esclarecidos, sobre as nossas responsabilidades para que não venhamos a ser (ou para que deixemos de ser, consoante a perspectiva) uma “raça pestilenta”.

Lembram-se de vos ter recomendado a leitura do livro deste autor, “PORTUGAL, HOJE – O Medo de Existir”, editado pela Relógio d’Água? É uma boa oportunidade para o fazerem, se não o tiverem já feito.

E, para desanuviar os espíritos, que tal uma adivinha/anedota ultramarina? Será que ela pode ser considerada um hieróglifo?


uuuuuuuuuu
obds
OOOOOOOOOO


Tenham uma boa continuação de fim de semana!

Bom dia OC!

Edward Elgar, nasceu há 150 anos em Lower Broadheath, nos arrabaldes de Worcester, nos Midlands ingleses.
Filho de um afinador de pianos e dono de uma loja de instrumentos musicais, aprendeu música sozinho. É um dos compositores ingleses mais conhecidos, graças, sobretudo, às suas “Marchas de Pompa e Circunstância”, cuja n.º 1, com o poema “Land of Hope and Glory”, continua a encher o ego dos nossos “amigos” britânicos.
E neste dia em que a Rainha também está certamente a comemorar o 54º aniversário da sua coroação, podem ver um vídeo com essa célebre marcha de Edward Elgar, na última noite dos “Proms” do ano passado.
Tenham um Bom Sábado!

sexta-feira, 1 de junho de 2007

Beleza de Mulher



Aqui estão duas das raras fotografias da Pérsia do século XIX. São mulheres do harém do xá Nazir al-Din que reinou na segunda metade do século.

Para mim fica desvendado o mistério da obrigação de as mulheres taparem a cara. Os ayatolas assustavam-se com as mulheres e nem as queriam ver por perto. Até hoje...

Bolsa de tripulantes

Foi recebida, por "e-mail", a seguinte mensagem:

"Caros nautas

Vou estar em Valência de 16 de Junho a 9 de Julho, na marina do Port America's Cup, para assistir às respectivas regatas. Para a viagem de regresso vou precisar de dois (máximo três) tripulantes, devido a indisponibilidade de última hora da tripulação prevista.
Aceito interessados, sujeito a confirmação, com um mínimo de experiência de navegação.
Itinerário de regresso a combinar, sendo minha intenção fazer a viagem de modo a chegar a Lisboa por volta do fim de Julho.
As despesas com o barco, marinas, etc. serão da minha conta. Alimentação a dividir e viagem para Valência por conta dos interessados.

Veleiro GAVIA. Elan 31

Skiper: Fausto Brito e Abreu

Tlm: 919949045 e.mail
faustoabreu@sapo.pt "

Bom dia OC!

A “Batalha da Jutlândia”, a maior batalha naval da I Guerra Mundial e uma das últimas em que a espessura da couraça e o alcance da artilharia ainda eram importantes para aferir as forças em presença, terminou na madrugada do dia 1 de Junho de 1916.
Às 15:45 h. do dia anterior tinha sido disparada pelo cruzador alemão “Elbing” a salva que deu início a este confronto que colocou frente a frente duas impressionantes esquadras — 28 couraçados, 43 cruzadores e 78 destroyers da Royal Navy, comandados pelo Almirante Jellicoe, e 22 couraçados, 16 cruzadores e 61 torpedeiros da Kaiserliche Marine, comandados pelo VAlm Scheer.
Nas quase 12 horas que durou a “Batalha da Jutlândia”, morreram 6.094 marinheiros britânicos e 2.551 alemães. Foram ao fundo 6 cruzadores e 8 destroyers da Royal Navy e 1 couraçado, 5 cruzadores e 5 torpedeiros da Kaiserliche Marine.
Não houve um nítido vencedor deste confronto pois, embora as perdas britânicas tivessem sido superiores, a marinha alemã não voltou a ter a veleidade de conquistar o controlo do mar, limitando-se a concentrar os seus esforços na guerra submarina.

quinta-feira, 31 de maio de 2007

Ainda a Raça Pestilenta

Esta “onda” não é mais que um comentário à feita ontem pelo JBR com título “Raça Pestilenta?”.
Assume esta forma porque, se estivesse no seu devido lugar, arriscar-se-ia a passar um tanto desapercebida dada a “pedalada” vigorosa do blogue que atira para a poeira do sótão o que ontem resplandecia, face à minha falta em lá tê-la colocado em tempo oportuno.
Mas vamos ao que interessa.
O magnífico, realista e mais que lúcido artigo transcrito pelo JBR, parece-me justificar a revisita às “ondas” feitas aqui em 9.3.07 pelo 403 d’62 sob o título “Nem em 3 gerações vamos mudar...” (bem como aos respectivos 8 comentários) e em 10.3.07 pelo JBR sob o título “Raça Pestilenta? – III”.
Assentem bem os pés nos vossos metros quadrados e dêem corda à polémica.

Bom dia OC!

Dei ontem com um artigo do Público (que podem ler aqui) sobre o centenário do nascimento de um matemático português — António Aniceto Monteiro — de que nunca tinha ouvido falar (ignorância em que, infelizmente, não devo estar sozinho). Vi também que, embora de uma forma um tanto ou quanto discreta, o seu centenário está a ser comemorado pela Sociedade Portuguesa de Matemática.
Daquilo que me foi possível ler sobre António Aniceto Monteiro, fiquei a saber que nasceu em Moçamedes no dia 31 de Maio de 1907 e que foi aluno do Colégio Militar. Licenciou-se em 1930 em Ciências Matemáticas, na Faculdade de Ciências de Lisboa, e doutorou-se em Paris, em 1936.
Voltou para Portugal depois do doutoramento, mas foi-lhe vedada a entrada na carreira universitária e impedido de exercer funções docentes porque se recusou a assinar um compromisso de fidelidade à Constituição de 1933 e assumir que não seguiria os ideais comunistas.
Perseguido pelo obscurantismo vigente, partiu em 1945 para o Brasil a fim de prosseguir a carreira académica. Mas, até aí, o longo braço de Salazar conseguiu pressionar o Reitor da universidade onde António Aniceto Monteiro trabalhava de modo a evitar a renovação do seu contrato. Depois de 4 anos no Brasil, foi para a Argentina onde ensinou quase duas décadas na Universidade do Sul, em Bahia Blanca.
Ainda voltou a Portugal em 1977, tendo trabalhado cerca de dois anos como investigador no Centro de Matemática e Aplicações Fundamentais da Universidade de Lisboa. No entanto, não quis morrer em Portugal e regressou à Argentina em 1980, vindo a falecer em Bahia Blanca no dia 29 de Outubro desse ano.
A forma como os melhores são afastados neste reino da mediocridade, demonstra bem os perniciosos efeitos da “pestilência da raça”. E de tal forma são mal tratados, que nem cá querem morrer…

Gomes de Azevedo



A avaliar pelo teu aspecto e jovialidade, ninguém diria que também és alvo da fita do tempo.
Mas és!
E por isso aqui estou a dar-te com muita amizade um grande abraço de parabéns, com os votos de que o possa fazer por muitas e muitas outras vezes ao bom amigo e camarada que tens sabido ser.

quarta-feira, 30 de maio de 2007

Dia de S. Fernando

No dia de São Fernando um grande abraço para o Fernando "Sueco", Fernando Brito Valle, Fernando Maciel e Fernando Cavaco, que ostentam esse nome com tanta galhardia.

Boa noite a todos

LERAM O ÁGUA ABERTA


Oh meu bom Povo. Os deputados da Nação leram o nosso "Àgua aberta....." e lá parece que convenceram o Ministro que não estamos no Zimbabwé nem na Venezuela e, vai daí , Sexa diz que vai rever a lei.
Lá vou poder dar os 1000€ aos meus netos , sem ter previamente de os transformar em bicicletas para me furtar ao imposto de selo.
Há que , desta vez , darem , camaradas , os parabens ao meu Partido.

BRUXO?



Não sei porquê , nem porque mais , mas cheira-me que este Senhor está com um grande par de patins.


Mas não é por concordar com a limitação dos mandatos.

Mais um ...

... OCeano se junta ao "Água aberta". Ao fim de alguns ameaços, o Costinha lá conseguiu afugentar o fantasma "da blogue-ignorância de longa duração". Que seja bem-vindo.

Raça Pestilenta?

Eduardo Prado Coelho - In Público (Lamento, mas não consegui localizar este artigo. Mas vale a pena ler!)

A crença geral anterior era de que Santana Lopes não servia, bem como Cavaco, Durão e Guterres. Agora dizemos que Sócrates não serve. E o que vier depois de Sócrates também não servirá para nada. Por isso começo a suspeitar que o problema não está no trapalhão que foi Santana Lopes ou na farsa que é o Sócrates. O problema está em nós. Nós como povo.

Nós como matéria-prima de um país. Porque pertenço a um país onde a ESPERTEZA é a moeda sempre valorizada, tanto ou mais o que o euro. Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada do que formar uma família baseada em valores e respeito aos demais.
Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nos passeios onde se paga por um só jornal E SE TIRA UM SÓ JORNAL, DEIXANDO-SE OS DEMAIS ONDE ESTÃO.

Pertenço ao país onde as EMPRESAS PRIVADAS são fornecedoras particulares dos seus empregados pouco honestos, que levam para casa, como se fosse correcto, folhas de papel, lápis, canetas, clips e tudo o que possa ser útil para os trabalhos de escola dos filhos... e para eles mesmos.

Pertenço a um país onde as pessoas se sentem espertas porque conseguiram comprar um descodificador falso da TV Cabo, onde se frauda a declaração de IRS para não pagar ou pagar menos impostos.

Pertenço a um país onde a falta de pontualidade é um hábito. Onde os directores das empresas não valorizam o capital humano. Onde há pouco interesse pela ecologia, onde as pessoas atiram lixo nas ruas e depois reclamam do governo por não limpar os esgotos.

Onde pessoas se queixam que a luz e a água são serviços caros.

Onde não existe a cultura pela leitura (onde os nossos jovens dizem que é muito chato ter que ler) e não há consciência nem memória política, histórica nem económica. Onde os nossos políticos trabalham dois dias por semana para aprovar projectos e leis que só servem para caçar os pobres, arreliar a classe média e beneficiar a alguns.

Pertenço a um país onde as cartas de condução e as declarações médicas podem ser compradas, sem se fazer qualquer exame. Um país onde uma pessoa de idade avançada, ou uma mulher com uma criança nos braços, ou um inválido, fica em pé no autocarro, enquanto a pessoa que está sentada finge que dorme para não dar-lhe o lugar. Um país no qual a prioridade de passagem é para o carro e não para o peão. Um país onde fazemos muitas coisas erradas, mas estamos sempre a criticar os nossos governantes. Quanto mais analiso os defeitos de Santana Lopes e de Sócrates, melhor me sinto como pessoa, apesar de que ainda ontem corrompi um guarda de trânsito para não ser multado. Quanto mais digo o quanto o Cavaco é culpado, melhor sou eu como português, apesar de que ainda hoje pela manhã explorei um cliente que confiava em mim, o que me ajudou a pagar algumas dívidas. Não. Não. Não. Já basta.

Como matéria-prima de um país, temos muitas coisas boas, mas falta muito para sermos os homens e as mulheres que nosso país precisa.
Esses defeitos, essa CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA congénita , essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui até converter-se em casos escandalosos na política, essa falta de qualidade humana, mais do que Santana, Guterres, Cavaco ou Sócrates, é que é real e honestamente ruim, porque todos eles são portugueses como nós, ELEITOS POR NÓS. Nascidos aqui, não em outra parte...

Fico triste. Porque, ainda que Sócrates fosse embora hoje mesmo, o próximo que o suceder terá que continuar trabalhando com a mesma matéria prima defeituosa que, como povo, somos nós mesmos. E não poderá fazer nada... Não tenho nenhuma garantia de que alguém possa fazer melhor, mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá. Nem serviu Santana, nem serviu Guterres, não serviu Cavaco, e nem serve Sócrates, nem servirá o que vier. Qual é a alternativa?

Precisamos de mais um ditador, para que nos faça cumprir a lei com a força e por meio do terror? Aqui faz falta outra coisa.

E enquanto essa outra coisa não comece a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados, ou como queiram, seguiremos igualmente condenados, igualmente estancados....igualmente abusados!

É muito bom ser português. Mas quando essa Portugalidade autóctone começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, então tudo muda..

Não esperemos acender uma vela a todos os santos, a ver se nos mandam um Messias.

Nós temos que mudar. Um novo governante com os mesmos portugueses nada poderá fazer. Está muito claro... Somos nós que temos que mudar. Sim, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda a nos acontecer: desculpamos a mediocridade de programas de televisão nefastos e francamente tolerantes com o fracasso. É a indústria da desculpa e da estupidez. Agora, depois desta mensagem, francamente decidi procurar o responsável, não para castigá-lo, senão para exigir-lhe (sim, exigir-lhe) que melhore seu comportamento e que não se faça de mouco, de desentendido.

Sim, decidi procurar o responsável e ESTOU SEGURO QUE O ENCONTRAREI QUANDO ME OLHAR NO ESPELHO.

AÍ ESTÁ. NÃO PRECISO PROCURÁ-LO EM OUTRO LADO.

E você, o que pensa?.... MEDITE!

EDUARDO PRADO COELHO

Bom dia OC!

Joana d'Arc foi queimada viva em Rouen, na praça do “Mercado Velho”, no dia 30 de Maio de 1431.
Tinha nascido em 1412 na pequena aldeia de Domrémy, situada na Lorena, em plena Guerra dos Cem Anos que franceses e ingleses travavam desde 1337.
Embora a sua intervenção na guerra seja mais mítica do que real, Joana d'Arc terá tido o mérito de elevar o moral das hostes francesas o que, em Maio de 1429, levou os ingleses a levantar o cerco a Orleães que durava já há 7 meses. É igualmente reconhecido o seu contributo para que Carlos VII viesse a ser rei de França, levando-o a Reims onde foi coroado em 17 de Julho de 1429.
Contudo, a nobreza e o clero francês depressa acharam que Joana d'Arc estava a ir longe demais, pelo que em 9 de Janeiro de 1431 foi parar à prisão, em Rouen. Começou a ser julgada em 21 de Fevereiro de 1431 e pouco mais do que 3 meses depois morria no cadafalso.
Até ao século XIX a França ignorou-a. Depois, teve o azar de ser redescoberta pelos nacionalistas, da direita monárquica primeiro e, ultimamente, da pouco recomendável Frente Nacional de Le Pen.
Não lhe bastou ter morrido na fogueira. A pobre Joana d'Arc, Santa padroeira da França, continua certamente a sofrer graças aos compatriotas com que Deus a prendou. Só isso, já é razão mais do que suficiente para justificar a sua canonização em 5 de Maio de 1920…

terça-feira, 29 de maio de 2007

Noites de São Cente, terra bô

Para o 403 d'62 e para o FdaPonte aqui vai esta pequena recordação:

Portugal profundo


Sem palavras.

LEMBRANDO COM SAUDADE



Caros amigos e camaradas Oceanos

Nos finais de 1965 resolvemos ir todos jantar na Av.de Berna, julgo no restaurante "Cortador", para festejarmos a chegada ao fim da nossa aventura na Escola Naval.
As “fugas p'ra frente” foram mais que muitas e naturalmente que a noite foi muito longa......
Com estas imagens termino o capítulo "Lembrando com saudade", referentes ao período 62/65, que espero vos tenha agradado.
Um grande abraço para todos vós

ELE ANDA POR AÍ

Ele anda por aí. Só pode ser, para conseguir influenciar o Governo.
Então eu quero dar à minha afilhada 1000 € de presente por ter um filho, e ela (ou eu, ainda não percebi bem) tem de pagar um imposto de selo de 100€?
Então eu quero dar ao meu filho uma pequena ajuda de 750€ e tenho de comunicar essa atenção de Pai ao Estado?
Então eu quero abrir uma conta a meus netos e tenho de dar parte, do dinheiro das criancinhas, ao Estado?
Haverá algum País, sem ser na barbarie do Zimbabwé ou na ditadura comunista eleita da Venezuela, onde isto se passe?
E ninguém se queixa à C.E.?

Bom dia OC!

Em 29 de Maio de 1453, depois de um cerco que tinha começado a 6 de Abril, Constantinopla foi conquistada pelo Sultão Mehmed II à frente de um exército com mais de 80.000 turcos e alguns milhares de mercenários europeus.
A queda de Constantinopla e o desaparecimento em combate do Imperador Constantino XI puseram fim ao Império Bizantino, último vestígio do Império Romano do Oriente, fim também de uma era da História do Ocidente. A feudal Idade Média ficava para trás e a Europa iniciava a Idade Moderna, cujo primeiro dos seus três séculos ficou marcado pela expansão portuguesa “por mares nunca dantes navegados”.
Entrada de Mehmed II em Constantinopla

NOVELAS

Morreu hoje , ou penso que morreu , na óptima novela portuguesa "Vingança" , onde fazia o papel de mau da fita.


Nuno Melo , actor e não lider parlamentar, que eu aqui disse que talvez fosse o pior interprete lusitano.


Pois desta vez fui surpreendido e , gostando de teatro como gosto , tenho de aplaudir.

segunda-feira, 28 de maio de 2007

Portugal profundo

S. Bento da Porta Aberta. Santuário do respectivo S. Bento em estilo chinês!!!
Dinheiro em barda...

DEFESA NACIONAL (XVIII)

Na sua série de artigos sobre as Forças Armadas, o João Pires Neves continua a ocupar-se dos Recursos Humanos, nomeadamente da sua valorização. Neste, o 18º, é a "temática da formação" que assume particular relevância. O título do artigo é "As Forças Armadas e os “Recursos”. Os Recursos Humanos e a Formação” (IV)" e pode ser lido, na sua versão integral, no Jornal Defesa e Relações Internacionais.

Bom dia OC!

No dia 28 de Maio de 1987, passam hoje 20 anos, o jovem alemão Mathias Rust, com 19 anos, bastante sorte e alguma insensatez, conseguiu iludir a defesa anti-aérea da URSS e aterrar com o seu monomotor Cessna, pouco depois das 7 horas da tarde, ao pé do todo poderoso Kremlin.
Para além da notoriedade que então alcançou, a temeridade valeu-lhe um “estágio” de 432 dias na prisão de Lefortovo, em Moscovo, onde o KGB colocava alguns dos seus hóspedes.

domingo, 27 de maio de 2007

PARABENIZO



Quero hoje "parabenizar" os Sportinguistas meus Amigos .


Ouvi , ontem , este verbo, ou lá o que seja , pela boca de Marinho Peres , na sua chegada ao "ainda" aeroporto de Lisboa.


Apesar da "ajudazita incompetente do treinador dos azuis" , há que parabenizar.

FRAGATAS



Aqui vai outro nome , e de um Homem Grande.


Com Homens destes como Chefes , na política ou na corporação , uma pessoa sente-se bem.


Fez muito bem à Marinha , à Armada , ao País e aos Marinheiros.

Educação em Portugal


Imagem ilustrativa da qualidade, simplicidade e clareza do sistema educativo em Portugal.

UMA GLÓRIA-CACINE P1140


Em 27 de Maio de 1969 foi lançada á água.
Esteve em Angola , anos a fio , e foi trazida de volta , em Fevereiro de 1975.
Nunca esteve no Cuito , como consta no "site" oficial da Marinha , mas esteve em S.Tomé vários meses.
É a primeira da sua classe e será a última a ser abatida.

Um abraço aqui ao Carlos Garoupa , que me entregou o comando ( 7 dias no mar) e me ensinou quase tudo

Boa tarde OC!

O Bom dia teve que sofrer esta alteração de horário por culpa do Hita e da forma como ontem nos mimou no casamento da filha Filipa…
Há 66 anos o “Bismarck”, um dos mais emblemáticos navios da Marinha nazi, foi ao fundo na manhã do dia 27 de Maio de 1941. Terminou dessa forma a sua primeira e única missão operacional que tinha iniciado a 18 de Maio em companhia do cruzador “Prinz Eugen”.
Três dias antes, no dia 24 de Maio, o “Bismarck” tinha afundado o HMS “Hood”, navio almirante e orgulho da Royal Navy, ao fim de pouco mais de 10 minutos de combate naquela que ficou conhecida como Batalha do Estreito da Dinamarca.
Tenham então um Bom resto de dia!
O “Bismarck” visto do “Prinz Eugen” depois da Batalha do Estreito da Dinamarca

PORTUGAL, segundo o Historiador Mário Lino

Lamento não conseguir ampliar este mapa de Portugal, nova versão segundo o eminente historiador Mário Lino.

Tenham uma boa semana.

A pedido

A pedido, aqui vai:

Para dar uma certa pertinencia e seriedade a este Blog, existe uma escala de 1 a 9 para classificar os Posts e Comentários.
Essa escala denominada EBR (escala de Beirão Reis) tem os seguintes graus:
1 Papel higiénico usado
2 Infeliz
3 Sem interesse
4 Provocatória
5 Sólida
6 Pertinente
7 Séria
8 Revelando intelectualidade
9 Com pretensões a artigo dos Anais do CMN

O incógnito colega ,caso lhe dê na gana, atribuirá os graus 1, 2 ou 3. De notar que o OTO tem SEMPRE 6 ou 7 !!!