sábado, 19 de maio de 2007

sexta-feira, 18 de maio de 2007

Formação blogueira

Na sequência desta onda informo que a próxima sessão de formação blogueira terá lugar no CNED (por cima da Academia de Marinha, no Edifício Central da Marinha - Terreiro do Paço), no dia 12 de Junho próximo, das 1000 às 1200. O prazo para as inscrições (cursooc@gmail.com) termina no dia 7 de Junho. Dali seguiremos para o almoço habitual.

O CICLO DAS CANDIDATURAS



Para responder ao Fernando Fuzeta


O meu candidato é este.
Só que duvido que ele aceite

Bom dia OC!

Alma Mahler
Segundo consta nos mentideros franceses, Sarkozy fez tudo para adiar para hoje a tomada de posse. Até tentou desaparecer em Malta. Chirac é que não foi nessa.
Compreende-se, o desejo do “pequeno” que é agora o Presidente dos franceses, pois há 203 anos, no dia 18 de Maio de 1804, um outro “pequenote”, de seu nome Napoleone di Buonaparte, fez-se nomear Imperador dos franceses, adoptando o nome de Napoleão I.
Coroou-se a si próprio e coroou a sua consorte Joséphine de Beauharnais no dia 2 de Dezembro de 1804, em cerimónia apadrinhada pelo Papa Pio VII, que se limitou a abençoar a coroação, já que Napoleão o achou indigno de pôr a coroa nas imperiais cabeças.
Quanto o Sarkozy não daria para ser nomeado Nicolas I…

quinta-feira, 17 de maio de 2007

CARLOS CAROÇO "O ENFEGA"

É verdade. Encontrei o CC na última 4ª feira em plena esplanada do (ainda) nosso Museu. Estava com muito bom aspecto,o que não surpreende, pois goza apenas a vida!
Falei-lhe no nosso blog e almoços mensais. Prometeu participar e comparcer...

PROCURA-SE


JOAQUIM GODINHO VEIGA.
Agora mais do que nunca és necessário em Lisboa, com a tua experiência autárquica em Borba.
Prometemos um lugar cativo no "Paço Alentejano".
Se tens computador faz-te freguês desta tertúlia de gente boa...
Um abraço... e dá notícias

CANDIDATURAS

Ó Manel:
Então e o candidato-mistério do PP?
Será que a Montanha irá parir um rato?

Bom dia OC!

Para compensar as “sinistras” imagens das anteriores “ondas” do Manel, o melhor é recordar quem nos deixou algo que merece ser contemplado.
Por exemplo, Sandro Botticelli, um dos maiores pintores renascentistas, que morreu no dia 17 de Maio de 1510. Espero que o seu Nascimento de Vénus consiga fazer-vos esquecer as inestéticas “fronhas” dos candidatos…
O Nascimento de Vénus

quarta-feira, 16 de maio de 2007

O CICLO DAS CANDIDATURAS

O PS manda o Ministro de Estado e do Interior.

O 1º Partido da oposição, manda uma 3ª escolha, um bom Polícia mas já perdedor em autarquias, em Setúbal (e isto conta), com boa linguagem para um salão nobre mas indecifrável num comício.

Se estivesse cá o Eça, apareceria certamente num próximo romance a hilariante personagem do dr. Mendes...


O CICLO DAS CANDIDATURAS

Este Senhor, mais "acusador" que Vereador, apesar de ter 12 assessores, motorista e secretárias, fez muito mais mal do que bem ao povo de Lisboa.

Só o que os contribuintes tiveram, e ainda têm, de pagar pelo atraso das obras do túnel do Marquês......

Só o que temos de pagar pelos assessores ...que, de um Vereador sem pelouros, fazem o quê?

Mas creio que a força política que o apoiou está farta dele, e sabe que vai perder.... O povo percebe!!!!!

Vai daí anda o Senhor desesperado a querer arranjar coligações:::::::::::: Até assinou a Roseta, sabendo o perigo que daí lhe vem.

Espero que o povo desta vez lhe dê a lição devida


O CICLO DAS CANDIDATURAS

O Senhor 1º Ministro tem de pagar 100 dinares ao Dr. Mendes, pelo enorme favor que este lhe fez.

Deu-lhe (ou vai dar) a Câmara de Lisboa e tirou-lhe do quarto o "Costa". É que o dr. António Costa, brincalhão da política desde novo, estava nº 2 do Governo, mas com uma força que ninguém esperava. Já tinha uma Marinha quase maior que a do Melo Gomes (e nossa), uma GNR a fazer ações militares, uma proteção civil a fazer de Força Aérea.

E queria mais.......................

Estava com uma musculatura que o Engº confessadamente não previa.

Vai daí, oh Amigo, marcha para Lisboa, que poderás imitar o Sampaio.


Bom dia OC!

Há uns escassos 30 anos, pouco mais do que ontem, no dia 16 de Maio de 1977, a RTP transmitiu o primeiro episódio da “Gabriela, Cravo e Canela”.
Vale a pena recordar, não só a “pequena”, como também esse magnífico cheiro a cravo e canela que só o talento de um Jorge Amado conseguiria descrever…

Queiroz e Lima


Quis a vida que tivesses empreendido precocemente a última viagem que a todos nós está reservada.
Não estás portanto hoje aqui para receberes o nosso abraço pelo teu aniversário natalício.
E porque a tua lembrança continua em nós e esperando que a NET também tenha chegado aonde quer que estejas, aqui vai aquele abraço por essa via, com um até sempre Pelágio.

terça-feira, 15 de maio de 2007

FORÇA Companheira

Esta tem coragem, no seu estravagante caminho atá à esquerda total, se é que existe.


Mas a verdade é que a estão a tramar , com a data imposta para a eleição. Arranjar 4000 assinaturas em Lisboa não é nada fácil , ainda por cima em tão pouco tempo.


Duvido que possa concorrer, o que é uma injustiça.


Mas se conseguir, o BE vai ás urtigas (talvez seja a maneira de se livrar do Sá Fernandes!!!!), e Lisboa ganhará muito com isso.

Volta .....estás perdoado?

Este Homem é sério.

Fez o que o deixaram fazer, talvez sem poder de decisão e sem assessores políticos.

Deu cartas e meios à sua oposição como não dá para crer, na ingenuidade da ética.

Não quiz concorrer com o CDS, o que foi um erro. Coligou-se depois, o que foi um erro ainda maior.

Deu liberdade aos seus Vereadores e quando lhes pediu contas.... já era.

Mas saiu com a maior das dignidades. E quer voltar.

Imagino que logo ao fazer a lista vai cometer um erro..... fatal. Espero que não.

Gosto dele


ARMADA , para que te quero!!!!

Está cá outra vez um. Creio que o D. Eisenhower.


Uma das nossas unidades de superficie está sempre fundeada perto. Uma Fragata anda no mar perto da barra. Não sei se um sub vigia.


A estada de um Porta-Aviões em Lisboa é uma pera de negócio para muita gente e grande entrada de divisas, desde as putas do cais Sodré aos Cacilheiros.


Ao menos que o Dr. Cadilhe e o Dr. Judice vejam isto!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Partiu em 16 de Maio , pelas 1000 , com uma "Cacine" como escolta....e "GOE´s" nos paredões da margem , não fosse aparecer algum turra com uma "pressão de ar"

OBVIAMENTE DEMITO-O


Desabrochou em 15 de Maio de 1906 e dizem que não era flor que se cheirasse mas como tudo teria sido diferente!

Bom dia OC!

 
Ao JBR, ao MPM e ao Selva, com um abraço! 
Embora no ano passado já tenha assinalado esta efeméride, merece repetição.
A primeira linha do “Metro” do Porto, desde a porta da Alfândega Nova até à Foz, foi inaugurada oficialmente há 135 anos.
No dia 15 de Maio de 1872, entre música e foguetes, o Ministro das Obras Públicas, Cardoso Avelino (e não sei se o Major já por lá andava), deu a partida ao “americano” movido por uma valente parelha de muares que, segundo dizem, fez o percurso nuns vertiginosos 15 minutos.
Não vou dizer que “a população espavorida se refugiou no cimo das árvores”. Isso foi quase um século depois, quando circularam na “mui nobre, leal e sempre invicta” os primeiros troleicarros de dois andares…

segunda-feira, 14 de maio de 2007

DEFESA NACIONAL (XVI)

A gestão de pessoas é o assunto central do 16º artigo do João Pires Neves sobre as Forças Armadas, continuando o Jornal Defesa e Relações Internacionais a fazer a respectiva publicação. Desta vez o artigo intitula-se "As Forças Armadas e os “Recursos”. Os Recursos Humanos e os Quadros de Pessoal (II)" e pode ser acedido aqui.

Mais uma acção de formação blogueira ...

... se encontra em preparação (a última teve lugar em 09MAI06). O "Penicão" está a tentar organizar a infra-estrutura logística e logo que possível serão publicitados os detalhes finais (local, horário, etc, etc ... ). Os interessados podem inscrever-se em cursooc@gmail.com ou lsilvanunes@yahoo.com
Conto com muita participação da parte dos OCeanos, esperando, no entanto, que não se repita a extraordinária afluência verificada durante o 1º Curso rápido de "blogueiro" que teve lugar a 13Dez05. O Prof. e ... os Alunos de então agradecem, reconhecidos.

PROCURA-SE



ANTÓNIO SANTOS GOMES.

A sua presença,mais cibernética que presencial, pois sabemos onde está e o que faz, é um "must" neste blogue.

Vê se apareces na "net" e se dizes alguma coisa de tua justiça.

A Marinha … “além de tudo, é sempre uma boa aventura!”

As pessoas são, em qualquer organização, uma fundamental riqueza. Julgo que não se torna necessário rebuscar os mais recentes compêndios da arte de bem gerir para aceitar esta verdade. É óbvio que ter gente capaz, devidamente qualificada, motivada e com espírito de equipa quase que garante, por si só, um bom desempenho … e não me refiro, apenas, a qualidades técnicas e saber profissional. Uma organização de sucesso tem que saber fomentar e gerir valores éticos e culturais sob pena de sabotar a necessária melhoria contínua dos seus processos de funcionamento e não tirar partido do seu capital humano. As organizações não são entidades autónomas e etéreas com vida própria, as organizações têm história e tradição mas são as pessoas, desde a gestão de topo aos níveis mais básicos, que, fundamentalmente, as caracterizam e lhes dão vida.
Vem isto a propósito de uma situação que pude observar à distância (obviamente sem qualquer interferência) e que me incomodou sobremaneira. Muito sucintamente: aqui há uns anos uma jovem algarvia, longe de Lisboa e da margem sul do Tejo, licenciada, resolve juntar-se à Marinha (TSN RC). Abraça a sua nova carreira com determinação e entusiasmo, desenvolvendo a sua actividade com profissionalismo, competência e vontade de bem-fazer. Às tantas a sua chefia directa é ocupada por uma personalidade (uma jovem também) que se viria a revelar mal preparada para as funções que exercia e dona de atitudes e comportamentos que eu classificaria de, pelo menos, inadequados. Sem controlo ou supervisão correctora por parte das chefias intermédias (por ser uma área menos importante/nobre?), a convivência deteriora-se e surgem situações pouco claras e delicadas. Entretanto acontece um concurso para os QP. A jovem algarvia, que aprendeu a gostar da instituição, tenta o ingresso. De acordo com critérios mensuráveis alcança uma posição cimeira mas tendo em conta a componente subjectiva, indicada pela chefia directa, é relegada para a última posição da sua especialidade. Pode-se calcular o desapontamento e a frustração da jovem que se viu “obrigada” a procurar outro caminho e a abandonar, com pena, a Marinha. Com o seu Mestrado em fase de conclusão, é rapidamente contratada por uma Universidade em Inglaterra onde exerce actualmente a sua especialidade com sucesso e reconhecimento.
Como disse antes, o bom funcionamento de uma organização exige padrões elevados no comportamento do seu pessoal. Esta situação incomodou-me … fez-me impressão ver a correcção, a dedicação plena e a boa-vontade serem “punidas”. Não me parece que a Marinha tivesse ganho o que quer que fosse com o que se passou e só espero que tudo isto não tenha sido mais do que uma infeliz excepção.

Bom dia OC!

Proclamação da independência de Israel
Há 110 anos, Guglielmo Marconi fez a primeira transmissão de rádio entre dois locais separados por água, numa distância de 14 km, de Lavernock Point, no País de Gales, para a ilha de Flat Holm no Canal de Bristol.

domingo, 13 de maio de 2007

Bom dia OC!

Marquês de PombalSebastião José de Carvalho e Melo, futuro Conde de Oeiras e Marquês de Pombal, nasceu em Lisboa no dia 13 de Maio de 1699.
Estudou direito na Universidade de Coimbra, embora sem concluir o curso, tendo tentado também sem sucesso a carreira militar.
Nomeado em 1739 para o seu primeiro cargo público como embaixador em Londres, passou depois por Viena, onde foi colocado em 1745 também como embaixador.
Após a subida ao trono de D. José em 1750, foi nomeado Secretário de Estado dos Negócios da Guerra e Estrangeiros, cargo que deixou em 1756 para assumir a Secretaria do Reino.
Figura controversa, admirado e ao mesmo tempo detestado, o notável desempenho do Marquês de Pombal como primeiro-ministro de D. José I marcou o século XVIII português e o absolutismo régio.
Mais conhecido pela forma como promoveu a reconstrução de Lisboa a seguir ao terramoto de 1755, não deve ser colocada em segundo plano a sua política em prol do restabelecimento da economia nacional e da redução da sua forte dependência do exterior.
D. Maria I detestava-o e até ordenou que o Marquês se mantivesse a mais de 20 milhas dela. Mal subiu ao trono depois da morte de D. José em 1777, afastou-o dos negócios do reino, desterrando-o para Pombal, onde veio a morrer no dia 8 de Maio de 1782, cinco dias antes de completar 83 anos.