sexta-feira, 23 de março de 2007

Polícias felizes


Os advogados paquistanezes resolveram fazer uma manifestação contra o governo, que foi reprimida pela polícia, como se vê na foto. Isto é de fazer inveja a todos os polícias do mundo...

Do mal, o menos

No princípio de Fevereiro, nesta onda, chamava-se a atenção para a estrutura cinzentona que estava a ser construída no Tamariz.

E, nesta imagem, mostrava-se o magnífico panorama a ser desfrutado de algumas janelas do edifício, com a parede a pouco mais de meio metro de distância das ditas.
Pois hoje, a situação é um pouco diferente. Parte da estrutura foi modificada e um bom bocado de parede desapareceu ...


Enfim, do mal, o menos ... parece-me que estão no caminho certo; agora só falta retirarem o resto da estrutura.

Saudade


Se continuasses entre nós, cá estaríamos a dar-te um abraço de parabéns.

Assim, estejas onde estiveres, dizemos-te que ainda não se apagaram dos nossos ouvidos as tuas gargalhadas e da nossa memória a tua amizade e camaradagem.

Parabéns


Velho companheiro de corridas de bicicleta e de outras loucuras (pequenas, diga-se) de juventude: um grande abraço de parabéns pelo dia de hoje (extensível, pela parte que me toca, ao teu pai).
Muitos outros te desejo, com saúde e amizade dos teus amigos.

P.S. Vai sendo tempo de iniciares a colaboração na Água Aberta.

Bom dia OC!

Calouste Gulbenkian, cujo legado muito tem contribuído nestas últimas décadas para que a nossa cultura ainda tenha algum alento, nasceu em Üsküdar, na Turquia, no dia 23 de Março de 1869.
Veio para Portugal em 1942, deixando a França ocupada, e por cá foi ficando até ao fim dos seus dias em 20 de Julho de 1955.

quinta-feira, 22 de março de 2007

MILITARES

Estava hoje, manhã cedo, no "tasco" da rua, tentando acordar com uma "bica", já não se ganha para o "Prozac", e ouço um "popular" que falava mal do Zézito da CowVillain por causa do homem (dizem!) ter uma licenciatura "martelada" como o wiskey do Trombinhas (dizem, que eu nunca lá fui) e remata: "eu quero ver quando ele chegar aos privilégios dos militares". A esta hora ainda não decidi se devo chorar ou rir. Aceito sugestões sobre o estado de alma mais adequado.

Bom dia OC!

Continuando na maré da pintura, assinalo o nascimento em Antuérpia, no dia 22 de Março de 1599, de Anton van Dyck, que se notabilizou a pintar nobres e reis, sobretudo na corte britânica.
Morreu em Londres no dia 9 de Dezembro de 1641.

ANTÓNIO QUADROS

Morreu neste dia, provavelmente assustado pelo início de mais uma primavera. Era filho de António Ferro e de Fernanda de Castro e penso que toda a sua vida se quiz dramaticamente afastado do ideário dos pais mas sem nunca se ter tornado um opositor do regime. Divulgou o existencialismo na sua versão cristã e eu, "puto", tive o privilégio de o ter conhecido quando ele trabalhava nas bibliotecas itinerantes e fixas da Gulbenkian.
A biblioteca do IADE tem o seu nome e, nem de propósito, esta efeméride caiu como sopa no mel, como os mais curiosos poderão verificar respigando nos comentários à postagem de ontem do Barbosa.

quarta-feira, 21 de março de 2007

Raça Pestilenta? - IV

Com o objectivo de permitir aos OCeanos várias perspectivas sobre a eventual “pestilência da raça”, tomo a liberdade de, com a devida vénia, transcrever um artigo de António Peres Metelo, publicado no caderno de Economia do Diário de Notícias de ontem.
Tenham uma muito boa tarde!

Sobe e desce
António Perez Metelo
Redactor principal


Numa União de 500 milhões de cidadãos, em crescente integração, é incontornável tudo medir e tudo comparar entre as suas 27 parcelas nacionais. Os rankings constantes aí estão, elaborados por instituições internacionais ou empresas editoriais ou de consultadoria. Quando as coisas correm mal, as tais comparações ampliam o efeito de exposição: o período de estagnação da economia portuguesa desde 2002 não só nos diz em termos relativos que o rendimento médio de cada português representa, ano a ano, uma fracção menor do europeu como conduziu já à descida para o 20.º lugar numa União Europeia alargada a 27 Estados.
Menos conhecido é o nosso atraso nos campos do conhecimento, da tecnologia e da inovação face à Europa mais desenvolvida. O investimento concentrado nestes três campos, decisivos para uma nova arrancada da produção nacional, adquiriu uma designação unificadora, o Plano Tecnológico, do qual volta e meia se ouve dizer que desapareceu do mapa.
Organismos internacionais, que não parecem estar interessados em envolver-se em lutas políticas internas, dizem o contrário. Cinco deles concluíram o seguinte: no índice The Lisbon Review 2006 do Fórum Económico Mundial, Portugal sobe quatro lugares; no índice The Lisbon Scoreboard Centre for European Reform, sobe dois lugares; três lugares, no Ranking Europeu de Disponibilização de Serviços Públicos Online; cinco lugares na tabela Doing Business do Banco Mundial; e o País atinge o primeiro lugar na Europa, com 9,9% de crescimento do emprego no sector dos serviços de conhecimento intensivo, entre 2000 e 2005, segundo o Eurostat. E quando os valores de 2006 começarem a ser avaliados a posição do país saltará de novo para cima.
E chega? Não, longe disso! Em quase todos os indicadores é preciso crescer para o dobro. Mas é esta a sementeira de uma possível futura prosperidade!

Diário de Notícias
Caderno de Economia
20 de Março de 2007

Notícias de Lagutrop


Já que estamos com as mãos na massa, aqui vão outras sugestões de "internacionalização" das regiões de Portugal, pelas quais desde já informo prescindir de quaisquer direitos de autor:


Thrash Mounts ant Alt Door
Interdoor and Minion
Bear Letterall
Bear in Terrier
Stray Madoora
Lesbian and Stayball
Rib-a-Days
Allen Days
Mad-Era
Hey Zoors

Primavera


Chega hoje a Primavera. Para assinalar aqui fica um quadro de Giuseppe Arcimboldo." Retrato de homem reversível antropomórfico composto de fruta".

Bom dia OC!

Então hoje comemoremos o nascimento do criador do “Zé Povinho”, se calhar o melhor símbolo da “Raça Pestilenta”…
Rafael Bordalo Pinheiro nasceu em Lisboa no dia 21 de Março de 1846.
Depois de ter passado uns bons anos a gozar com o “Zé” e a achincalhar os políticos, morreu no dia 23 de Janeiro de 1905.

terça-feira, 20 de março de 2007

Conferências da Cooperativa Militar

(Para ampliar, "clicar" sobre a imagem)
Realizou-se hoje, das 1730 às 2000 horas, nas instalações da Cooperativa Militar, a primeira sessão de um colóquio subordinado ao tema geral "A Oposição Político-Militar ao Estado Novo no Início do 3º Quartel do Século XX".
O tema desta sessão foi "O Golpe da Sé", moderado pelo Tenete-General Alexandre Sousa Pinto, presidente da Comissão Portuguesa de História Militar, tendo sido apresentadas comunicações pelos Sr. Manuel Serra, Coronel Vicente da Silva, Coronel Setas Domingues e Comandante Vasco Belmarço da Costa Santos. Estiveram presentes cerca de 50 pessoas (eu devo ter sido o mais novo), dos quais quatro eram de Marinha.
As sessões seguintes realizar-se-ão, no mesmo local, à mesma hora, nos próximos dias 22 (Temas Diversos), 27 (O Assalto ao Quartel de Beja) e 29 (Painel, com a participação dos conferencistas e de historiadores especialistas na época).
Para já, acho que valeu a pena!

DEFESA NACIONAL (VIII)

Já foi publicado no "Jornal Defesa e Relações Internacionais" o 8º artigo do JPN sobre as Forças Armadas: As Forças Armadas e a “Organização”. O Sistema de Forças e a sua Estrutura Organizativa (2ª Parte) (III.A).
O texto completo deste último escrito pode ser lido aqui.

Óbidos

Na sequência desta adivinha:

A evolução continua

e com Óbidos a ajudar

será que o "smart" vai

em bicicleta acabar?

LEMBRANDO COM SAUDADE


Hoje aqui vai mais uma caros camaradas oceanos.
Aos da foto, na minha direita, Marques de Sá, Raúl Patrício Leitão, Pargana Calado, Aires da Silva, e na minha esquerda, Vasco Leitão Rodrigues, um especial abração. Como estamos "bonitos"......

Aniversário


Para assinalar a efeméride o Figaro publicou esta sugestiva fotografia.

Bom dia OC!

Passam hoje 4 anos sobre a invasão do Iraque.
O buraco é cada vez maior…
Schooner Race

segunda-feira, 19 de março de 2007

Bom dia OC!

Se quizerem saber qual é a efeméride de hoje, cliquem aqui para verem o que é que o Instituto Camões assinala
Divirtam-se!
Schooner Race

domingo, 18 de março de 2007

Busca e Salvamento

Foi concluido o relatório do inquérito que a Inspecção-Geral da Defesa Nacional fez na sequência do naufrágio do Luz do Sameiro. As suas conclusões podem ser lidas na página do MDN. Das medidas a tomar, aquelas que verdadeiramente interessam são as que toda a gente sabia, ou seja, a implantação do GMDSS na nossa área de responsabilidade e o recrutamento de pessoal para tripular os salva-vidas! Estes são dois processos encalhados no Ministério há mais de dez anos, que agora arrancam devido à comoção pública causada pelo desastre. Abstenho-me de comentar o esforço dos zelosos funcionários e políticos pelas mãos de quem estes processos passaram ao longo destes anos. Faço votos para que agora não recorram ao quadro de excedentários para angariar tripulantes de salva-vidas, funcionários públicos privilegiados e inúteis.

Sinal dos tempos

Sob o título acima, deu hoje à estampa o nosso camarada Botelho Leal n'A Voz da Abita, um recorte de um jornal não identificado e sem data, que lhe chegou à mão através de outro camarada, com a notícia da morte em combate do nosso Patrono Com. Oliveira e Carmo.

Em homenagem à sua memória e pela responsabilidade que sobre nós foi depositada de lhe perpetuarmos no tempo o nome e o significado do acto, convido-vos a ler e a situar no tempo aquela notícia.

Á Voz da Abita e em particular ao Botelho Leal, os nossos agradecimentos pela publicação.

Bom dia OC!

Hoje ficam com o Nikolai Rimsky-Korsakov, que nasceu em Tikhvin, cidade no noroeste da Rússia, no dia 18 de Março de 1844.
Entrou aos 12 anos para o Colégio Naval Imperial Russo de São Petersburgo e ingressou depois na Marinha Russa. Foi professor de composição e orquestração no Conservatório de São Petersburgo e a Marinha também o pôs a dirigir algumas bandas.
Morreu em Lyubensk no dia 21 de Junho de 1908.
Tenham um bom Domingo e, se quiserem, ouçam a Scheherazade…

Juízes contra Militares

Acho que também vale a pena lerem o que o Fernando Madrinha escreveu no Expresso de ontem (17 de Março). Aqui vai a transcrição:
Juízes contra Militares
A esquerda à esquerda do PS – e muito possivelmente alguns sectores socialistas que não se têm pronunciado – rejubilam com as sucessivas ordens de libertação, emitidas por tribunais comuns, dos militares que participaram nos famosos ‘passeios’ de contestação ao Governo e foram castigados pelas respectivas hierarquias. Essa esquerda rejubila, pois, com a indisciplina. E alegra-se com a desautorização pública da hierarquia das Forças Armadas, da mesma forma e com o mesmo espírito de ataque aos pilares do Estado burguês com que, em 1975, promoveu as organizações reivindicativas de militares conhecidas por SUV (Soldados Unidos Vencerão).
Em vez da revolução, invoca agora, a despropósito, o Estado de direito. Mas a atitude e as motivações são idênticas, até porque essa esquerda é a mesma de 1975 . A sua evolução doutrinária resume-se aos temas ditos fracturantes – liberalização do aborto, salas de chuto, direitos dos homossexuais e por aí adiante. Tudo o que lhe cheire a disciplina e autoridade é igual a fascismo. Mesmo nas Forças Armadas que, por natureza e definição, só existem enquanto obedecerem as normas rígidas de disciplina e autoridade, obviamente distintas das que vigoram nas instituições civis.
A esquerda não sabe isto? Sabe e muitíssimo bem. Mas, não podendo ter as Forças Armadas e as policiais sob o seu controlo e ao seu serviço – aí os ‘passeios’ não chegariam sequer a realizar-se –, prefere que elas se desprestigiem em manifestações disfarçadas de idas as compras e se desestruturem com a desautorização das suas cadeias de comando.
Que esta seja a atitude da esquerda mais radical já é lamentável, embora não surpreenda. Agora que os meritíssimos senhores Juízes da respectiva associação sindical também se metam no assunto e façam coro com ela – embora dizendo apenas que os tribunais são quem melhor assegura os direitos, liberdades e garantias dos cidadãos – isso já é de estarrecer ou emigrar, como diria Almeida Santos. Depois de tudo o que se tem passado na Justiça, o último espectáculo de que o país precisa é de ver Juízes contra militares, ainda que os primeiros se limitem a aplicar a lei que os políticos fazem.
Quem é militar sabe perfeitamente que o seu compromisso com o país implica a perda de alguns direitos, liberdades e garantias – até porque os quadros das Forças Armadas são hoje preenchidos por voluntários. Não é, pois, aceitável que, lá por terem sido extintos os tribunais militares, um juiz «de fora» possa agora pôr em causa decisões que pertencem e devem continuar a pertencer ao foro da disciplina interna das Forças Armadas. A menos que se queira transformá-las numa instituição permeável a todo tipo de manipulações do exterior.